Neste domingo (7), um balanço mundial das mortes por Covid-19 ultrapassa a marca de 400 mil vítimas, segundo a universidade americana Johns Hopkins, que vem acompanhando a pandemia desde que ela surgiu em Wuhan, na China. A marca foi atingida nesta madrugada e o número de infectados chega a 6.913.608 nos 188 países e territórios globais.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que apesar do grande número, e da Itália e Espanha terem reduzido o número de mortes, tanto a América do Sul como a América Central ainda não atingiram o pico da pandemia.

Para Mike Ryan, chefe de emergências da OMS, não é fácil prever se algo pior estar por surgir no Brasil, mas ressaltou que o país tem aumento de casos diários cada vez maiores ficando ao lado do Chile, Colômbia, México e Peru.

Segundo Mike, a América do Sul está longe de alcançar uma estabilidade, visto que a região se tornou o novo epicentro da pandemia do novo coronavírus.

O chefe de emergências da OMS ainda falou sobre os locais mais atingidos no Brasil, sendo eles São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco e o Amazonas, que concentra as taxas de ataques mais altas dentre todos, onde a cada 100 mil habitantes, 490 são infectadas.

Os maiores números de mortos estão nos Estados Unidos. O país lidera as estatísticas, registrando aproximadamente 110 mil vítimas. O Brasil está em terceiro lugar em nível de óbitos e em segundo lugar com mais casos confirmados. Ambos os países acreditam que o abalo na economia é pior que a pandemia.

Donald Trump e Jair Bolsonaro tem uma mesma linha de raciocínio, exemplo disso é que Bolsonaro cogita também sair da OMS, assim como seu parceiro norte-americano.

Na sexta-feira (5), o presidente brasileiro afirmou que os dados sobre o avanço ou regresso da pandemia seriam divulgados após as 22 horas, com o intuito de não permitir que o jornalismo da Rede Globo trate do assunto, além de evitar inconsistências nos dados.

Mas no sábado (6), o site do Ministério da Saúde saiu do ar e parou de divulgar os dados na íntegra.

Defensoria vai à Justiça contra Ministério da Saúde

Neste sábado (6), a Defensoria Pública da União (DPU) entrou na Justiça Federal de São Paulo com um pedido de liminar, solicitando que o Ministério da Saúde volte a divulgar na íntegra e imediatamente os números do 'Painel Coronavírus' com os dados atualizados dos possíveis novos registros.

A Defensoria ainda pede que as divulgações voltem a ser feitas como já acontecia desde o início da pandemia e que se mantenha o mesmo horário de 'até as 19 horas'. O DPU ressaltou que é uma obrigação do poder público ' informar correta e adequadamente à população todos os atos adotados no combate a disseminação da doença' e alegou que, por se tratar de uma pandemia, requer que haja mudanças de hábitos de diárias e, por este motivo, o governo federal deve prestar informações completa e claras para o bem da população. As informações são do portal G1.

Países com maior número de óbitos por coronavírus

  • Estados Unidos: 109.802
  • Reino Unido: 40.548
  • Brasil: 35.930
  • Itália: 33.846
  • França: 29.145

O novo coronavírus eclodiu na China ao final de dezembro de 2019, mas até o momento os números de mortes foram inferiores ao se comparar com outros países.

Sem contar Hong Kong e Macau, a China registra 83.030 pessoas infectadas, dentre elas 4.634 vieram a óbito e as demais já estão curadas. Nas últimas 24 horas, surgiram mais três novos casos, mas ainda não houveram mortes até o momento da publicação dessa reportagem.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!