A rede de lojas de Luiza Trajano, Magazine Luiza, causou polêmica ao anunciar em suas redes sociais que o programa de trainee da empresa em 2021 aceitará apenas candidatos negros.

De acordo com a empresa de Luiza Trajano, o objetivo dessa ação é consolidar a diversidade racial nos cargos de liderança do Magazine Luiza, além de dar oportunidade a universitários e recém-formados que estão em início de carreira.

Candidatos aceitos para trainee no Magazine Luiza

Os candidatos, além de serem negros, terão de ter se formado em qualquer curso superior entre dezembro de 2017 a dezembro de 2020. Diferentemente de muitas empresas, o Magazine Luiza não vai exigir que os candidatos falem inglês ou tenham experiência anterior.

O salário de trainee na rede de Luiza Trajano será de R$ 6,6 mil, com direito a bônus e benefícios.

Movimentos negros saem em defesa do Magazine Luiza

Após o anúncio da rede de lojas de Luiza Helena Trajano, muitas criticas retumbaram pelas redes sociais, mas, em meio a elas, também se pronunciaram muitos apoiadores da causa. Celebridades, escritores e ONGs deram seu apoio a Magazine Luiza depois do anúncio do programa de trainee apenas para negros.

Em nota, o movimento AR, que foi criado pela Universidade Zumbi dos Palmares e a ONG Afrobras, elogiaram a atitude da empresária. No comunicado, foi dito que a ideia é inovadora e chamaram Luiza Trajano de visionária. O comunicado ainda dizia que essa foi uma atitude corajosa em prol do alcance da igualdade racial.

Diretora do Instituto da Mulher Negra fala de ação do Magazine Luiza

Sueli Carneiro é filósofa e escritora. Além de ser diretora do Instituto da Mulher Negra, ela também é uma forte defensora da luta contra o racismo. Em suas redes sociais, Sueli comentou a ação de Luiza Trajano e disse que a empresária colocou o dedo na ferida e que "o pus vai jorrar para todo lado".

A ação do Magazine Luiza, porém, não foi bem vista por todos. A rede de lojas foi acusada de "racismo" pelo deputado federal Carlos Jody, que também é vice-líder na Câmara e um apoiador do atual presidente Jair Bolsonaro. Segundo Jordy, ele irá acionar o Ministério Público contra o Magalu por crime de racismo.

Após a publicação do deputado federal, a rede de lojas de Luiza Trajano rebateu e disse que estão tranquilos quanto a legalidade da campanha de trainee e que há gerações existe a inclusão de pessoas descriminadas no mercado de trabalho e que isso não são eles quem dizem, mas sim uma nota técnica do Ministério do Trabalho.

Filósofa Djamila Ribeiro fala sobre o assunto

Djamila disse que acreditar em racismo reverso (que seria o racismo de um negro contra um branco) é como acreditar em unicórnios. A filósofa ainda disse que ninguém é obrigado a saber, mas que se quer falar do assunto tem que aprender primeiro. Ela ainda disse que a ignorância não é uma benção para pessoas privilegiadas e a ignorância é uma desculpa.

Siga a página Concursos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!