Neste fim de semana decorreu em Tóquio a 28ª Edição do Festival Internacional de Cinema de Tóquio. A película do diretor carioca Roberto Beliner, “Nise - O Coração da Loucura”, ganhou a categoria de Melhor Filme. E a protagonista do filme, Glória Pires, venceu na categoria de Melhor Atriz. Esta foi a estreia em prêmios internacionais de Nise, após receber no prêmio do público no Festival do Rio, no Rio de Janeiro.

Este filme é um drama que documenta a história de vida da psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999). Ele se passa entre 1942 e 1944, no hospital Pedro II nos subúrbios do Rio de Janeiro, onde Nise chega para se ocupar da área de terapia ocupacional do centro psiquiátrico da unidade.

Aí se debate com a rejeição dos experimentais e recentes tratamentos nos pacientes com esquizofrenia. Revoluciona a psiquiatria dos anos 40 levando oficinas de arte (música, dança, pintura, teatro, jardinagem) aos seus “clientes” (forma como passou a lhes chamar), e que produz um efeito positivo neles.

Este filme foi o eleito entre os 16 filmes na competição no festival da capital do Japão. Bryan Singer, diretor de X-Men Apocalipse e presidente do juri, no seu passado conduziu um ônibus de alunos com autismo e este filme mexeu com ele e sua história. “Nise consegue criar convincentemente um mundo repleto de tristeza, humor e triunfo.”, afirmou, justificando a vitória.

O Prêmio Especial do Júri foi entregue a Kheiron, diretor do filme francês “All Three of Us”, que aborda no filme a migração do Oriente Médio para a Europa, com um ex-prisioneiro do Irã que vai viver para França. “Cold of Kalandar”, sobre uma família que vive isolada sem eletricidade e água nas montanhas, foi o filme de coprodução turca e húngara que deu ao cineasta Mustafa Cara o Prêmio de Melhor Diretor.

Os melhores vídeos do dia

Já o prêmio de Melhor Ator foi dividido pelos atores Roland Moller e Louis Hofman do filme “Land of Mine”, um filme pós Segunda Guerra Mundial em que soldados alemães são enviados para retirar minas explosivas na Dinamarca. A Melhor Contribuição Artística foi para “Family Film”, de Olmo Omerzu, pela originalidade ao retratar um casal que larga seus filhos e sai de férias. Por fim, “God Willing”, filme sobre um médico cirurgião que leva uma reviravolta na vida, do italiano Edoardo Falcone, foi a Escolha do Público.

O Festival Internacional de Cinema de Tóquio é atualmente um dos mais importantes da Ásia. Esta foi a sua 28ª Edição, e além dos 16 filmes em competição, no total foram exibidos 207 filmes ao longo de 10 dias, com quase 64 mil espetadores.