Qual a voz do Queen? Nem precisa pensar, é Freddie Mercury. E a voz do Pink Floyd? Claro, David Gilmour. Se a pergunta for "qual a voz do Guns N' Roses", a resposta vem imediata: Axl Rose. Kurt Cobain, a voz do Nirvana; Ian Gillan, do Deep Purple; do Iron Maiden, Bruce Dickinson e assim seguem as indagações e respostas no estilo "ping pong".

Desta forma, não restam dúvidas sobre o vocal original de AC DC: ele pertence a Brian Johnson ou, pelo menos, pertencia.

Após ser diagnosticado com um problema auditivo crônico, em março deste ano, o cantor realizou exames e chegou a dizer, há pouco mais de um mês atrás, em abril, que não se aposentaria, afastando-se apenas temporariamente, enquanto durasse seu tratamento.

Para a vaga de Brian, foi escalado Axl Rose, vocalista do Guns N' Roses como 'tampão', apenas para a banda cumprir com os compromissos de sua agenda de shows.

Porém, na segunda quinzena de abril, o AC/DC divulgou, em seu Facebook, a saída permanente de Johnson. Agradecendo sua contribuição e toda a sua dedicação ao longo dos mais de 35 anos com o quinteto, a banda disse ainda que Axl colaboraria para que eles pudessem respeitar os acordos firmados para suas apresentações. A banda agradeceu a sua contribuição e dedicação ao longo dos anos. Contudo, dizem que, apesar de quererem que a turnê Rock Or Bust World Tour termine, vão respeitar as datas anunciadas e que Axl Rose ofereceu a sua ajuda neste objectivo.

Mas parece que Johnson vai mesmo parar. Em entrevista à emissora de rádio norte-americana, Sirius XM, ele disse que os últimos gráficos de seus exames revelaram baixa considerável em seus níveis de audição.

Os melhores vídeos do dia

Aconselhado pelos seus companheiros de banda, e outros amigos, a parar de cantar, o vocalista diz que "é preciso entender que as coisas são como são", referindo-se a atletas que deixam suas carreiras, até de maneira prematura, em razão de lesões e que, no caso dele, sente-se privilegiado, aos 68 anos, por ter cantado "em uma das melhores bandas do mundo".

O cantor também valorizou o fato de seus médicos não o diagnosticarem com alguma doença grave ou, até mesmo, um câncer, dizendo-se grato por tudo o que viveu com os companheiros Angus, Malcolm e Stevie Young, Cliff Williams e Chris Slade.

Início no AC/DC

Brian Johnson integrou a banda australiana de rock em 1980, ocupando a lacuna deixada por Bon Scott, morto em fevereiro daquele ano por intoxicação por álcool.

Desde então, gravou 11 álbuns em estúdio (a banda tem 18 discos, no total) e comemorou uma marca histórica já com seu primeiro trabalho como vocalista do AC/DC: "Back In Black", lançado em 1980, vendendo mas de 51 milhões de cópias, tornando-se o segundo disco mais vendido do mundo, atrás apenas de Thriller, de Michael Jackson, que vendeu mais de 65 milhões.

Outra baixa

Em 2014, Malcolm Young, um dos fundadores do AC/DC e irmão do guitarrista Angus, deixou a banda, também por problemas de saúde. Porém, as enfermidades de Malcolm foram bem mais sérias do que as de Brian. Ele teve detectado um câncer no pulmão, passou por cirurgia e ficou curado, mas teve complicações com coração e aí descobriu-se que Young sofre de uma doença degenerativa que acabou causando-lhe demência, deteriorando seu sistema mental. Com sua saída, Stevie Young, seu sobrinho, assumiu seu lugar na banda.

Até agora, enquanto está na estrada com o vocalista Axl Rose, na turnê "Rock or Bust World Tour", o AC/DC não confirma oficialmente o encerramento definitivo da banda, mas fãs próximos e especialistas do mundo do rock afirmam que sim,  o quinteto abandonará os palcos ao fim das apresentações.