Conhecer a história de nosso país é fundamental para entendermos seu processo de formação social, cultural e político. Mas para quem gosta de uma ajuda visual além dos livros, minisséries podem ser uma boa opção. Pensando nisso, selecionamos algumas minisséries produzidas pela TV Globo onde ficção e realidade se mistura, criando uma atmosfera que dá ao espectador a possibilidade de assistir o que está nos livros e com riqueza de detalhes, desde costumes até vestimentas, É importante ressaltar que, devido ao recurso da licença poética, essas obras podem conter histórias, personagens ou fatos inverídicos que servem apenas para dar o tom folhetinesco à trama. A seguir, confira a lista de minisséries que nos apresentam diferentes momentos do Brasil.

Anos Rebeldes (1992)

A minissérie de Gilberto Braga retrata o impacto da ditadura militar em um grupo de amigos. A história se passa entre 1964 e 1971, contando com um epilogo até 1979, quando ocorre a anistia. Maria Lucia (Malu Mader) é uma jovem individualista preocupada apenas em ter uma carreira. Filha de Orlando Damasceno (Geraldo Del Rey), um jornalista de esquerda e membro do Partido Comunista, ela vê sua vida mudar radicalmente ao conhecer João Alfredo (Cássio Gabus Mendes), um jovem idealista que sonha com a revolução.

Ele, porém não é o único a se apaixonar por Lúcia. Seu melhor amigo, Edgar (Marcelo Serrado) disputa o coração da moça, sendo o oposto de João. A trama apresenta também a história de Heloísa (Claudia Abreu), uma jovem de família rica que entra para a luta armada contrariando os interesses do pai, que ajudou a financiar o golpe de 64. Ambienta no Rio de Janeiro, o enredo de Braga se desenvolve conforme os acontecimentos do período, onde imagens reais se misturam às cenas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Televisão Política

Os festivais, o movimento estudantil, o AI-5, as revoluções pelo mundo, os tabus discutidos naquele momento, como pílula anticoncepcional, liberdade sexual e divórcio são discutidos através dos personagens, situando o espectador com o contexto da época em uma história de amor e luta por liberdade.

Um Só Coração (2004)

Escrita por Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira, a minissérie é uma homenagem aos 450 anos da cidade de São Paulo.

A trama conta a história de Yolanda Penteado (Ana Paula Arósio), uma jovem de família tradicional paulista dominada pela elite do café, que é conhecida por sua beleza, inteligência e paixão pela arte. Yolanda se apaixona por Martim (Erick Marmo), simpatizante do movimento anarquista. O contexto da minissérie é a São Paulo de 1922 a 1954, quando a cidade torna-se um importante centro econômico e cultural.

Acontecimentos como a Semana de Arte Moderna, a Revolução de 1924, a crise de 1929, a Revolução de 1932, a Era Vargas e as consequências do nazismo são trabalhadas no enredo. Escrita sob o ponto de vista da arte e sua influência na época, os modernistas Tarsila do Amaral. Oswald de Andrade, Anita Malfatti e Menotti Del Picchia foram retratados - em aspectos artísticos e pessoais-, bem como Assis Chateaubriand, Monteiro Lobato e Patrícia Galvão/Pagu.

Além disso, o núcleo da família Souza Borba mostra as condições sociais e econômicas ocorridas entre as décadas de 1920 e 1950, contrapondo as condições sociais de Yolanda e Cecillo Matarazo (Edson Celulari).

JK (2006)

A minissérie relata a vida e o legado deixado pelo presidente Juscelino Kubitschek. Interpretado por Wagner Moura (primeira fase) e José Wilker (segunda fase), a trama percorre a trajetória de JK desde a sua infância em Diamantina (MG) até sua morte em um acidente automobilístico em 1976.

O enredo relata o salto de modernidade ocorrido no país, os acontecimentos políticos - que vão desde a sua ascensão a presidência até o seu exílio pelo golpe de 1964 - a transformação social que houve sob o seu comando e detalhes de sua vida pessoal, como o casamento com Sarah Kubitschek (Débora Falabella/Marília Pêra) e até mesmo seu caso extraconjugal representado pela personagem Marisa (Letícia Sabatella).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo