Com apenas 21 anos, o paulistano Claudel Mpole da Silva Lukota já carrega uma bagagem musical comparável a muitos artistas renomados. Sua dedicação à música erudita se manifesta desde os sete anos, quando teve aulas de coral na Emesp Tom Jobim (Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim).

Na instituição, conhecida antes como Universidade Livre de Música Tom Jobim, Claudel era aluno da regente Lilia Valente, organizadora do Festival Nacional de Corais Infantis e Jovens Gran Finale, que acontecerá em outubro, em São Paulo. Com o incentivo da professora, o coralista participou do evento ainda na faixa etária infantil, em 2008, e continuou quando entrou para a categoria juvenil.

Ao todo, ele integrou cinco edições do festival, retornando mais uma vez em 2017.

Ao longo do processo, Claudel relata que adquiriu um repertório vasto e diverso de gêneros e estilos musicais. “As músicas que eu cantei quando criança no Gran Finale sempre estão na minha cabeça e certamente fazem parte do meu crescimento pessoal e profissional”, relembra.

Filho de pai congolês e mãe paranaense, hoje o jovem participa do coral independente Vozes do Amanhã, fundado por Lilia, e estuda clarinete na Escola Municipal de Música de São Paulo, onde tocou por mais de três anos na Orquestra Sinfônica Jovem Municipal. Ele também divide o tempo com um curso universitário de engenharia mecânica.

Inspiração internacional

O formato do Gran Finale tira sua inspiração do Festival Anual de Corais Infantis que ocorre em Nova Iorque, nos Estados Unidos, no Teatro Carnegie Hall.

Após participar em 2001, Lilia Valente decidiu realizar um festival com o formato no Brasil, buscando incentivar o canto coral entre crianças e jovens brasileiros.

“Trabalhamos com a autoestima das crianças e jovens, e, por meio do canto coral, elas desenvolvem diversas habilidades”, reflete Lilia. “A música é um canal para transformar o futuro em um mundo melhor, mais sensível”, conclui.

Sobre o festival

O Gran Finale – Festival Nacional de Corais Infantis e Jovens acontece de 6 a 9 de outubro. Para a edição de 2017, o festival receberá a regente internacional Ruth E. Dwyer, reconhecida por reger corais formados por crianças de escolas públicas nos EUA.

Um dos grandes atrativos do Gran Finale para os jovens é que ele oferece bolsa incentivo a corais formados por crianças e jovens de comunidades atendidas por projetos sociais. #GranFinale #CantoCoral