No dia 5 de setembro de 1946, nascia em Stone Town, na colônia britânica de Zanzibar, Farrokh Bulsara, o inesquecível Freddie Mercury, que hoje completaria 71 anos. Mais de 25 anos após sua morte, ocorrida em 1991, seu nome ainda segue como um dos grandes ícones do rock.

Garoto tímido, extravagante e carismático, conquistou o mundo ao lado de Brian May, Roger Taylor e John Deacon, com a banda #Queen, que vendeu mais de 300 milhões de discos ao redor do mundo. Antes de morrer, lançou um clipe – apenas com imagens de arquivos – intitulado: “The Show Must Go On”, ou em português “O Show Tem que Continuar”. E de fato ele ainda continua.

Nascido em Zanzibar, um estado semiautônomo da Tanzânia, Freddie se mudou para Londres aos 17 anos, junto com seus familiares, e foi estudar arte na Escola Politécnica Isleworth. Depois fundar uma banda e atuar em outro grupo, finalmente se juntou ao guitarrista Brian May e ao baterista Roger Taylor onde formaram o trio Smile, que posteriormente contou com a presença do baixista Tim Staffell, que mais tarde deixou o conjunto.

Após vários testes com candidatos para achar um substituto, finalmente decidiram por John Deacon. Com isso, a banda, que por sugestão do próprio Freddie passou a se chamar Queen, por ser, segundo ele, grande e pomposa, ganhou a formação que fez sucesso no mundo todo.

Horas depois da morte de Freddie, em 25 de novembro de 1991, foi lançado o clipe “These Are The Days Of Our Lives” (“Esses Eram os Dias de Nossas Vidas”), último trabalho audiovisual do cantor.

Em um dos trechos ele canta “The rest of my life's been just a show”, (“o resto da minha vida tem sido um show”). E de fato sua vida foi um show.

Sua presença de palco, jeito irreverente e uma inigualável voz o tornaram um artista único e que soube se reinventar através das décadas, desde as roupas mais espalhafatosas dos anos 1970, até o jeito mais comportado do final dos anos 1980. Eles também inovaram na criação de videoclipes.

Suas apresentações em estádio tinham grande interação com o público, como, por exemplo, na canção Radio Ga Ga, onde Freddie regia uma multidão de palmas. Grandes apresentações da banda, como Live Aid e o show realizado no Estádio de Wembley, foram um dos marcos da carreira da banda.

O vocalista do Queen já sabia que estava doente desde 1987, mas, talvez por temer o assédio da imprensa sensacionalista, preferiu manter segredo e manter a carreira do grupo normalmente. No entanto, nos últimos dois anos passou a viver recluso em sua mansão no Centro de Londres. #Freddie Mercury #Música