O fabuloso destino de Amelie Poulain é um filme difícil de se encaixar em uma categoria. Ora comovente, ora divertido, está classificado como estrangeiro, já que se trata de um filme francês, do diretor Jean-Pierre Jeunet. Com trilha sonora e fotografia belíssimas, foi estreado no Brasil em 8 de fevereiro de 2002.

Amelie, personagem vivida pela atriz Audrey Tautou, é uma jovem tímida e solitária que trabalha em um café em Paris, no bairro de Montmartre. Certo dia ela encontra em sua casa uma caixinha velha e empoeirada contendo objetos de uma criança chamada Dominique. Prometeu a si mesma que se encontrasse o dono daquelas lembranças, ajudar os outros seria sua missão na vida.

Em meio a esses encontros e desencontros, ela se depara com Nino, personagem vivido por Mathieu Kassovitz, com quem passa a nutrir um amor platônico a primeira vista. Amélie, muito pacata e ingênua, não sabe ao certo aonde encontrá-lo, então começa um grande jogo de gato e rato.

Sonhadora, ela acredita no amor, aquele completo, simples e verdadeiro. Aquele em que esperamos a chegada do ser amado com um bolo saído do forno, aquele que todos queremos mas achamos que não existe.

Amelie passa a se encantar com sua nova missão

Em certa parte, uma das mais notáveis e emocionantes é quando Amelie pega um senhor cego pelo braço e começa a andar com ele pelas ruas de Paris e descrever tudo o que está acontecendo à sua volta, desde as pessoas até o preço dos produtos do mercado, ele se delicia com esse passeio, como se realmente estivesse enxergando tudo aquilo.

Um dos grandes aprendizados do filme é fazer o bem sem esperar nada em troca. [VIDEO]

Parar um pouco e arrumar a grande bagunça interna que muitas vezes deixamos nos inundar.

Esse é um filme que todos deveriam assistir, você vai realmente se emocionar do princípio ao fim. Amelie é encantadora, linda e gentil, aprendemos com esse filme a apreciar as coisas simples da vida e jamais deixar de sonhar...

O filme mostra que cada pessoa é única e que é preciso viver e apreciar as coisas belas da vida e nunca, nunca deixar de sonhar, mesmo quando o cotidiano não inspira nada de extraordinário (Amélie não encontrava nada, na sua vida comum e normal, que a satisfizesse totalmente). O filme mostra também que, quando o momento chega, é hora de saltar sem medo.

É uma obra cinematográfica que vai mexer com seus pensamentos de uma forma amável. A trilha sonora, do compositor Yann Tiersen, é um ponto forte da tela e virou um disco de grande qualidade musical. O filme foi tão bem aceito pelo público que o Café Deux Moulins, que ela trabalha no filme, virou ponto turístico em Paris, fica na 15 Rue Lepic, 75018 Paris. Se você estiver com viagem marcada vale a pena conferir!