A leitura não é um hábito muito comum para a maioria dos brasileiros, mas ler é essencial para uma vida melhor, principalmente quando se trata de Livros de fantasia. Isso porque ela ajuda na criatividade. "Sim, ler livros de fantasia faz com que a pessoa seja mais criativa", defende o escritor João Gabriel Brene, autor da trilogia Johnny Bleas, que está chegando ao terceiro livro.

Para o paulistano, o pensamento criativo faz toda a diferença na solução dos problemas cotidianos, porque apresenta alternativas que dificilmente seriam percebidas dentro de uma perspectiva considerada normal. Para J.G. Brene, a leitura é a melhor amiga da criatividade pelo simples fato de contribuir para o perfeito funcionamento do cérebro e a criatividade de diversas maneiras.

João Gabriel Brene conta que seus livros trazem como mensagem principal reflexões do tipo o que forma nosso caráter? “Essa é uma questão fundamental e, por isso, a importância de abrir a mente do leitor para a possibilidade de viver novas aventuras e transportá-lo para mundos mágicos", diz o escritor, complementando que incentivar a criatividade é uma coisa natural na leitura de livros de fantasia como os do seu personagem Johnny Bleas. Ele destaca que o leitor acaba por assumir o papel de personagem e, ao mesmo tempo, torna-se o autor, porque fica totalmente livre para imergir nas entrelinhas da obra.

Os livros de fantasia mais vendidos de todos os tempos

A prova de que esse tipo de literatura atrai leitores de todas as idades é o sucesso de vendas ao longo do tempo. Veja abaixo alguns livros de fantasia mais vendidos em todo o mundo.

Dom Quixote

O livro do autor espanhol Miguel de Cervantes foi publicado no século 16 e conta a trajetória de um nobre senhor que é apaixonado por livros de cavalaria, mas, quando lê as obras, acaba perdendo a noção da realidade e sai pelo mundo vivendo aventuras acompanhado de seu amigo Sancho Pança.

No ano de 2002, Dom Quixote foi considerado o livro de fantasia mais vendido do mundo com cerca de 600 milhões de exemplares comercializados desde sua publicação.

Um Conto de Duas Cidades

Imortalizado pelo escritor Charles Dickens e publicado em 1809, a obra tem como ponto de partida a revolução francesa, ocorrida entre 1775 e 1793, passando pelo período da independência americana. O livro vendeu mais de 200 milhões de exemplares.

O Senhor dos Anéis

Obra do autor J.R.R Tolkien, "O Senhor dos Anéis" escrito entre 1937 e 1949, no período da Segunda Guerra Mundial, o livro vendeu mais de 150 milhões de exemplares. A história se passa no condado do pequeno hobbit Frodo Bolseiro, que recebe a missão de viajar até Mordor para destruir um anel de poder de Sauron, o poderoso senhor do escuro.

Nesta viagem ele é acompanhado de três hobbits, que formam a sociedade do anel.

Vários outros livros de fantasia poderiam ser citados, como "O Pequeno Príncipe" e a saga de "Harry Potter" [VIDEO], entre outros, provando que essa literatura desperta o interesse do leitor. Além de incentivar a criatividade, inspira novos escritores, como é o caso de João Gabriel Brene.