Sendo um sanatório o cenário central da antologia de terror ‘Insanidade’, pode-se afirmar que esta traz aos leitores uma óptica diferenciada do que acontece nesse tipo de local, em que médicos e enfermeiros são vistos como mocinhos das histórias.

Já em fase de pré-venda, a obra organizada pela escritora Soraya Abuchaim [VIDEO], considerada a “Dark Queen do Brasil”, a ser publicada pela Editora Skull, traz 20 contos macabros e com toques de crueldade.

“Nessa antologia, ressaltamos a maldade em pessoas que, muitas vezes, para a sociedade, são consideradas heroínas. Os ditos loucos também podem ter sua parcela de culpa, e as histórias são as mais variadas, capazes de amedrontar os leitores”, conta.

Junto a outros escritores nessa antologia, em que ela assina o conto ‘Bibliopegia Antropodérmica’, a autora esclarece que escolher as histórias que estão na ‘Antologia Insanidade’ foi um dos momentos mais difíceis de sua vida. Isso, claro, porque a seleção foi rigorosa, mas muitos dos participantes eram realmente bons.

“Eu fiz a seleção com a editora. Consideramos enredo e escrita para eleger os melhores. Todos são maravilhosamente sinistros, mas posso citar ‘Um médico exemplar’ de Helô Delgado e ‘Malditas Moscas’ de Rafael Faiani”.

Como é escolher tantos textos bons sobre um tema que se adora?

Soraya Abuchaim dá algumas dicas para quem deseja seguir a carreira de escritor e, se desejar, participar de antologias sobre o gênero. No caso do terror [VIDEO], que vem conquistando cada vez mais adeptos no Brasil, ela menciona alguns pontos fundamentais.

Os melhores vídeos do dia

“Antes de tudo, essas histórias precisam ter elementos surpresas, daqueles que deixam o leitor boquiaberto. Deve-se usar os que causem medo, horror ou mesmo nojo, que também faz parte do terror e do suspense. Alguns são mais sutis, outros são mais gore. Envolver o leitor e tirá-lo da zona de conforto são primordiais”, sugere.

Ela revela que 'finais abertos', em que a pessoa possa usar a sua imaginação para o desfecho também é uma boa saída. “Eu, particularmente, gosto muito desse tipo de final. Ele sempre deixa um gostinho de quero mais”, brinca.

Voltando à ‘Antologia Insanidade’, ela lembra que os leitores terão ótimos momentos de leitura envoltos pelas paredes do sanatório Santa Dimpna, que escondem segredos inimagináveis.

Para finalizar, ela comemora a ascensão do terror no País, tanto de fãs, quanto de escritores. “Acho que temos excelentes autores de terror e suspense no cenário nacional, alguns já estabelecidos, outros que estão chegando com tudo. Isso me deixa muito feliz porque era um gênero pouco divulgado e que sofria até certo preconceito. E hoje tem sido tendência!”. #sorayaabuchaim #gênero terror #livros nacionais