Cunhado pelo jornalista Dan Bloom, o termo Cli-Fi refere-se a um novo gênero de obras narrativas que abordam a ficção climática, trazendo a discussão sobre as mudanças climáticas para o leitor. O mais interessante é que essas obras apresentam a Ciência de uma maneira correta e tornam-se ferramentas de ensino divertidas tanto para jovens quanto para adultos.

Como será nossas vidas se a temperatura do planeta continuar subindo? Como será a agricultura no futuro? O que fazer com os refugiados do clima?

A falta de recursos naturais podem incitar conflitos armados?

Quando bem escrita, uma obra de Cli-Fi tem o poder de ajudar as pessoas a imaginar e entender como as ações atuais podem modificar o clima do futuro, afetando a vida de bilhões de pessoas. Esses romances podem tornar essa experiência muito mais real para o leitor do que simplesmente apresentar um gráfico com variações de temperatura do planeta.

Autores de Cli-Fi

Um exemplo de Cli-Fi é a obra “Faca de Água”, do autor Paolo Bacigalupi. Na ficção, num futuro árido e tumultuado, os Estados Unidos se tornou em uma nação fragmentada e devastada pelos efeitos das mudanças climáticas em que água ganhou o status de commodity mais valioso.

Para abastecer suas comunidades, os estados de Nevada, Arizona e Califórnia disputam o direito de uso do Rio Colorado. Nesse cenário, governos, órgãos públicos e empresários travam uma guerra ferrenha, no qual vale tudo.

Ainda nos livros pós-apocalípticos podem ser citados o “Oryx e Crake”, “O Ano do Dilúvio” e “MaddAddam”, uma trilogia escrita por Margaret Atwood, vencedora do Booker Prize e cotada ao Prêmio Nobel, abordando sobre regimes totalitários motivados por colapsos ambientais.

Cli-Fi brasileiro

O Brasil também conta com autores de ficção climática.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Ciência

Em “Solarpunk – Histórias Ecológicas e Fantásticas em um Mundo Sustentável”, seguido por “Vaporpunk” e “Dieselpunk”, fechando a trilogia, o escritor brasileiro Gerson Lodi-Ribeiro vislumbra um mundo sustentável, movido por energias limpas e renováveis.

Na forma de pequenos contos, Gerson reuniu textos de vários autores do Brasil e de Portugal, entre eles, Carlos Orsi, Telmo Marçal, Romeu Martins, Antonio Luiz M. C. Costa, Gabriel Cantareira, Daniel I. Dutra, André S. Silva e Roberta Spindler, para imaginar qual seria o impacto para a humanidade ao adotarmos um modelo de sociedade verde.

Obras como essa não apenas alertam sobre os perigos do Aquecimento Global, mas também podem inspirar soluções criativas para resolver o problema. Isso, talvez, é o que torna o gênero tão importante. Podemos, involuntariamente, aprender e fazer ciência real.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo