O romancista #Kazuo Ishiguro é o ganhador do Prêmio #Nobel de #Literatura de 2017.Em 2016, o vencedor foi o músico Bob Dylan, mesmo como lamento de alguns. O prêmio é concedido anualmente sempre no mês de outubro, desde 1901.

O escrito nipo-britânico foi anunciado logo cedo na manhã de quinta-feira (5). Segundo Kazuo Ishiguro, uma moça gentil da Suécia ligou para ele perguntando se aceitaria o prêmio ou não.

O que mais o surpreendeu foi a modéstia da Academia Sueca (responsável pela escolha do escritor com base na obra inteira), disse ele. Com bom humor, revelou que parecia que o estavam convidando para uma festa e que tivessem medo de que rejeitasse.

Ishiguro afirmou ter pensado que o prêmio era um boato (fake news).

Requisitos de avaliação do Prêmio Nobel de Literatura

O prêmio leva o sobrenome de um dos maiores químico-inventores. Após a morte de Alfred Bernhard Nobel, ele indicou no testamento a criação de uma fundação que premiasse anualmente todas as pessoas que contribuíssem de algum modo para o desenvolvimento da humanidade. Nasce, então, o prêmio.

Para o Nobel de Literatura é verificada a obra completa do autor como um todo, isso inclui livros, mentalidade, filosofia, sem levar em conta a obra particular. Kazuo Ishiguro que já se encontra na lista de laureados com o reconhecimento.

Embora consensual e polêmico, por não reconhecer os autores mundialmente conhecidos, segundo muitos, o prêmio Nobel de Literatura é um dos maiores, se não o maior, e mais distintos prêmios que um escritor ou uma escritora pode receber no mundo literário.

Os melhores vídeos do dia

Um pouco do autor

Nascido em Nagasaki no Japão, Kazuo Ishiguro, aos 5 anos, mudou-se para a Inglaterra e acabou ficando por lá, se tornando um escritor inglês. Foi muito cedo que Ishiguro tomou gosto pela leitura.

Aos 10 anos de idade já lia obsessivamente as histórias do conhecido personagem literário Sherlock Holmes. Daí sua influência romancista, embora já tenha escrito em diversas categorias. Sua grande obra é "Os Despojos do Dia".

Obras de Kazuo Ishiguro adaptadas para o cinema

Após o prêmio, Ishiguro ficou mais conhecido do que nunca, inclusive no Brasil. Não, não foi de paraquedas que ele caiu no mundo literário. Seu trabalho como escritor é tão excelente que chamou atenção de um cineasta americano, chamado James Ivory, que adaptou, no ano de 1993, o "Vestígios do Dia", e em 2005, a "Condessa Branca".

Kazuo Ishiguro também escreveu roteiros: “A Profile of Arthur J. Mason”, “The Gourmet”, “The Saddest Music in the World” e “The White Countess”. E não parou por aí. Em 2010, teve uma terceira adaptação para o cinema pelo diretor Mark Romanek, com Carey Mulligan e Andrew Garfield: "Never Let Me Go” (‘’Não me Abandone Jamais’’, em português).

Ao todo são oito livros escritos. O canal Henry Bugalho comentou um pouco mais sobre o autor. Assista ao vídeo:

"Não o li, mas vi o filme Não Me Abandone Jamais. Parabéns pra ele. Foi bem entregue o Nobel 2017", comentou um internauta. Você pode avaliar este artigo, comentar, ou compartilhá-lo com seus familiares e amigos nas redes sociais.