5

Mesmo tendo quase 100 anos que se começou a contabilizar as bilheterias, dos 20 filmes mais vistos da história, 17 são da década atual e você provavelmente já assistiu. Quem é fã de Cinema já conhece essa lista de cor e salteado. Mesmo assim, se você for revisitá-la ano que vem, provavelmente vai encontrar muitos títulos diferentes.

A pergunta que fica é: será que existe um resultado para a equação contexto X + enredo Y = filme recorde de bilheteria? Finja que inflação, aumento da população mundial e publicidade pesadíssima não são fatores preponderantes:

5º lugar: Os Vingadores (2012)

Direção: Joss Whedon

Bilheteria: US$ 1,5 bilhão

Sexto filme do Universo Cinematográfico Marvel, cuja criação certamente deu muito trabalho aos produtores — porém, não há dúvidas de que valeu o esforço.

Estamos falando de anos de uma estratégia de marketing bem arquitetada, envolvendo outros cinco longas, que introduziram e consagraram previamente os personagens junto ao grande público.

Por não terem o mesmo peso de um Batman, um Wolverine ou um Homem-Aranha, foram aliviados das grandes expectativas e eventuais decepções. A confirmação de que realmente seria produzido veio depois do sucesso do filme-teste Homem de Ferro, de 2008.

Essa retroalimentação fez do filme, também conhecido como “Homem de Ferro e os outros caras”, o principal representante da avalanche de adaptações dos quadrinhos. Um dos maiores segredos do seu sucesso está em uma premissa que, apesar de parecer óbvia, muitos diretores teimam em ignorar: fidelidade ao material de origem. Nada de liberdades artísticas por aqui!

Independentemente dos efeitos especiais e do valor de produção, o que todo mundo quer ver é uma boa história.

Não se conta uma boa história sem bons personagens. Também não há como ter bons personagens sem bons atores. Pois bem, em Os Vingadores todos parecem ideais em seus respectivos papéis.

Variedade

Outra façanha foi ter agradado a todo tipo de público, inclusive os adultos, sem ter de apelar para o sombrio e chuvoso. As cotas (etária, sexual, racial) também permitiram que todos os núcleos demográficos fossem representados.

Em outras palavras, é como se o filme tivesse sido anunciado assim: Você é fã do Capitão América? Se identifica com a personalidade do Hulk? Talvez ache Chris Hemsworth (Thor) gatinho? Esse filme foi feito para você!

Os escritores também merecem o crédito por conseguirem explorar bem os personagens sem transformar o filme em um Xuxa Requebra hollywoodiano. Bem ou mal, um universo enorme é conciliado em um roteiro conciso. Vejamos:

Nick Fury recruta o Homem de Ferro, Capitão América, Hulk e Thor para formar um grupo e impedir que Loki destrua a Terra. Pueril e previsível? Certamente, mas não é isso mesmo que a turma quer?

Com cenas de ação frenéticas, diálogos bem-humorados e uma aventura um tanto quanto ensolarada, o filme não tem vergonha nem tenta ser outra coisa que não seja explicitamente uma história de super-heróis que usam fantasias coloridas.

4º lugar: Jurassic World (2015)

Direção: Colin Trevorrow

Bilheteria: U$ 1,6 bilhão

Quem aqui gosta de dinossauros levanta a mão! A presença dos répteis gigantes, desde nas séries de TV aos desenhos animados, sempre fascinou.

É uma audiência praticamente garantida, sendo preciso muito esforço para não conseguir lucrar com uma produção que tenha dinossauros e, é claro, um orçamento tão pesado quanto os próprios. Que outro filão consegue ter tanta violência e, ainda assim, ser apropriado para todas as idades?

Além disso, houve um timing preciso para a estreia, que não precisou competir com outras produções de 2015, como Minions, o sétimo Velozes e Furiosos ou o segundo Vingadores. Ainda conseguiu o feito de atingir tamanha bilheteria tendo como protagonistas os (até então) desconhecidos Chris Pratt e Bryce Dallas Howard. Não só isso, mas os produtores resolveram explorar o grande público de países como China e Índia, usando novamente a cartada do elenco multiétnico.

Nostalgia

Feito sob a tutela de Steven Spielberg, este é o quarto filme da franquia Jurassic Park —lembrando que o primeiro um dia foi a maior bilheteria de todos os tempos. Aliás, poderíamos arriscar que boa parte do público de Jurassic World pertence à mesma geração que assistiu ao primeiro filme e o sucesso se deu justamente por causa dessa sensação nostálgica.

Depois de 14 anos de Jurassic Park III, houve uma volta às origens e, de quebra, foi dado o tempo para que as pessoas se esquecessem das continuações não tão boas assim. Mesmo não sendo dirigido pelo próprio Spielberg, em Jurassic World, o DNA do cineasta é percebido facilmente, o que já é suficiente qualquer coisa ser sinônimo de sucesso.

A história se passa na mesma ilha do filme original — um parque temático povoado por dinossauros clonados. O caos é instaurado quando um dinossauro criado geneticamente se solta e ataca a ilha. O fato de o filme ter sido feito para se ver em 3D e na companhia de grupos de amigos para gritar “wooow!” também alavancou um bocado a venda de ingressos.

3º lugar: Star Wars: O Despertar da Força (2015)

Direção: J. J. Abrams

Bilheteria: US$ 2 bilhões

Seguindo a seguinte fórmula infalível: franquia consagrada + nostalgia dos fãs + J. J. Abrams + qualquer coisa que tenha Disney no meio, chegamos à terceira posição. O Despertar da Força conta a história de Rey, Finn e Poe Dameron na luta ao lado da Resistência. A curiosidade dos fãs foi atiçada, para reverem Mark Hamill, Harrison Ford e Carrie Fisher, reprisando seus papéis clássicos como Luke Skywalker, Han Solo e Princesa Leia (último papel de Fisher em vida).

Este já é o sétimo filme da série, começada em 1977. É também o primeiro da franquia a não ser produzido pelo seu criador, George Lucas — queira ou não, talvez aí esteja o motivo do sucesso!

Disney

Quando o estúdio de Mickey Mouse comprou os direitos de Star Wars, muitos fãs ficaram com medo do rumo que a série tomaria. Será que a história ia ficar (ainda mais) bobinha? Porém, como se sabe, o famoso camundongo não entra em jogo para perder.

Mesmo quem nunca viu nenhum dos filmes mais antigos da série se interessou por assistir O Despertar da Força. Isso porque, independentemente de qualquer coisa, os trailers já mostravam que teria todos aqueles elementos que a rapaziada adora (vide tudo escrito nas posições anteriores), além de, é claro, blábláblá, efeitos especiais, blábláblá.

Não vamos nos esquecer da obrigatoriedade de assistir para não ficar boiando nas conversas entre os fanboys de respeito. Acredite ou não, geek é o sexy da nova geração.

2º lugar: Titanic (1997)

Direção: James Cameron

Bilheteria: US$2,1 bilhões

Entre as 20 maiores bilheterias da história, esse é o único filme produzido antes dos anos 2000. É também um dos raros a não se passar em um universo fantástico — o que diz bastante sobre as novas tendências. O risco de prejuízo era enorme, já que era a produção mais cara da história até então e, se fosse lançado hoje, dificilmente teria o mesmo êxito.

De qualquer forma, filmes baseados em grandes eventos históricos, de um modo geral, sempre fizeram sucesso. A inspiração para essa produção veio do fascínio de Cameron por naufrágios, sendo que sua realização começou com a filmagem dos destroços do Titanic real. O filme ainda se destaca por sua forma original de retratar os fatos.

Nas suas três horas de duração, acompanhamos a história de amor entre os personagens fictícios Jack e Rose, misturada à de pessoas reais, que estavam no navio durante sua viagem inaugural. Principalmente por ser de uma era pré-internet, o fascínio com essas histórias fez com que muitos voltassem constantemente ao cinema para poderem rever a obra.

Receita

O romance ultra-açucarado ainda levava uma boa dose de menina-rica-tem-romance-proibido-com-plebeu e um ingrediente infalível: Leonardo Dicaprio, em uma versão masculina de Cinderela.

Hoje Leo pode até não estar lá aquelas coisas, mas na época era considerado o espécime masculino mais suculento da paróquia. Sim, o público feminino foi responsável por uma fatia esmagadora da bilheteria.

Também temos que dar boa parte do crédito a James Horner e Will Jennings. Quem são eles? Nada menos do que os compositores de My Heart Willl Go On, que fez muita gente chorar até enjoarem de tanto ouvir a canção. Isso mesmo, Celine Dion foi apenas a intérprete da música, assim como Sandy & Junior foram da versão caça-níquel nacional.

Esse é um dos casos em que uma trilha marcante ajuda a impulsionar a bilheteria de um filme (O Guarda-Costas já esteve em uma das maiores posições do ranking por causa de I Will Always Love You, e Frozen, com sua Let It Go, é atualmente o 9º filme mais visto de todos os tempos).

Titanic foi a maior bilheteria de todos os tempos por 12 anos, até a chegada da nossa primeira posição:

1º lugar: Avatar (2009)

Direção: James Cameron

Bilheteria: US$2,7 bilhões

E não é que o cara conseguiu de novo?! Depois de mais de uma década sem dirigir um filme, James Cameron (também responsável pelos dois primeiros filmes do Exterminador do Futuro e o segundo da franquia Alien) voltou com tudo e bateu o próprio recorde!

A história se passa no futuro, quando a equipe composta por Jake, Coronel Miles, Trudy e Dra. Grace coloniza Pandora, uma lua habitável. Talvez essa ambientação seja pouco comum, mas como uma história tão semelhante a várias outras já vistas conseguiu o posto mais alto deste ranking?

A resposta é simples: A inovação no formato em que o filme foi exibido. Foi o primeiro grande filme feito com atores reais em Imax 3D — praticamente obrigatório em qualquer superprodução moderna.

O plano inicial era que fosse lançado em 1999, mas, segundo a visão de Cameron, não existia ainda a tecnologia necessária para sua realização. A novidade ainda obrigava até mesmo quem gosta de assistir filmes no conforto do lar a ir ao cinema para ter a experiência completa.

Continuações

Avatar promete ser o primeiro de uma franquia que, ironicamente, mesmo tendo alcançado o atual posto, ninguém parece estar se importando muito com as continuações. Afinal, agora não vai mais dar para se apoiar apenas nas novidades tecnológicas. Vai ser necessário uma história consistente para ser distribuída entre os quatro filmes que a série promete ter.

Muitos elitistas costumam torcer o nariz para os blockbusters. Avatar merece ser a maior bilheteria de todos os tempos? Definitivamente não! No entanto, se você assistir de coração aberto, deixando de lado os números mastodônticos, verá que este é, sim, um filme perfeito para lhe entreter!