O governo da #Coreia do Norte organiza uma exposição permanente dos crimes cometidos pelos #EUA durante a Guerra da Coreia (1950-1953) em um museu na cidade de Sinchon, 90 quilômetros ao sul da capital, Pyongyang.

Um vídeo divulgado esta semana pela rede de televisão russa RT mostra as cenas retratadas no Museu das Atrocidades de Guerra dos EUA. As imagens são fortíssimas, dentre elas as de um cidadão coreano tendo sua cabeça serrada por soldados americanos e uma mulher com um prego na cabeça sendo martelado também por soldados ianques.

O museu conta com pinturas das torturas e massacres, além de fotos das crianças que foram assassinadas dentro das instalações de edifícios que eram utilizados como abrigos durante os bombardeios dos EUA.

Das 105 crianças que presenciaram as cenas de horror, três ainda estão vivas e hoje são idosas.

“Eu tinha cinco anos quando ocorreu o incidente e ainda me lembro daquilo. A maioria das crianças morreu de fome ou de frio. Eu sobrevivi porque encontrei uma manta e me cobri. O exército dos EUA derramou petróleo onde estávamos, mas o líquido não me atingiu. Também sobrevivi ao frio me cobrindo com a manta”, relata ao canal iraniano HispanTV um dos sobreviventes, Ju Sang Won.

“Para não deixar nenhum rastro de suas atrocidades, os EUA bombardearam os dois edifícios, mas como podem apagar isso de nossos corações e mentes? Não tem como”, completa.

Antes das torturas, os filhos eram separados de suas mães, famintos. Como explicou Ju, a maioria foi queimada viva nos porões. Atualmente, os túmulos das mães e filhos assassinados ficam sob duas pequenas colinas em frente ao museu.

O episódio é conhecido como o Massacre de Sinchon e fez 35 mil vítimas. Segundo o governo da Coreia do Norte, ele ocorreu em um período de 52 dias entre outubro e novembro de 1950, quando as tropas da ONU lideradas pelos EUA mantinham as principais cidades norte-coreanas sob ocupação.

As torturas e massacres cometidos no local onde o museu foi construído são muito representativos para os norte-coreanos. Tanto Kim Jong Un [VIDEO] como seus antecessores, Kim Jong Il e Kim Il Sung, visitaram o local para prestar homenagem às vítimas.

O ódio expressado contra o governo dos EUA pelos coreanos [VIDEO] têm raízes no período em que o Massacre de Sinchon ocorreu. Durante a Guerra da Coreia, os EUA mobilizaram suas principais forças para derrotar o exército norte-coreano. Um exemplo disso foi o intenso bombardeio imposto à Coreia: mais de 635 mil toneladas de bomba caíram em solo coreano, incluindo 32.557 toneladas de napalm (agente proibido pelas convenções internacionais). Isso representou mais do que as 503 mil toneladas de bombas que os EUA despejaram em toda a zona do Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial. Como resultado, quase três milhões de coreanos foram mortos durante a guerra, a maioria deles na Coreia do Norte. #tortura