Peggy Cummings ficou famosa por seus papéis nos filmes Mortalmente Perigosa (Gun Crazy, 1950), de Joseph H. Lewis, e A Noite do Demônio (Night of the Demon, 1957), de Jacques Tourneur.

Nascida Augusta Margaret Diane Fuller, em 18 de dezembro de 1925, no País Gales, Peggy Cummins foi criada em Dublin. Mais tarde passou a morar em Londres. Sua mãe era a atriz Margaret Cummins, que também fez alguns filmes.

Em 1938, o ator Peter Brock notou a jovem Peggy em um ponto de bonde em Dublin e a indicou para um teste na Gate Theatre's Company.

Ela foi aceita e logo estreou no teatro. Aos 15 anos, ela estreou no Cinema, fazendo um papel no filme inglês Dr. O'Dowd (1940). Como era menor de idade, o conselho juvenil do condado de Londres só permitia que ela trabalhasse cinco horas por dia e sob a supervisão de uma governanta.

Apesar da restrição, sua carreira cinematográfica deslanchou e ela fez muitos filmes na Inglaterra. Seu primeiro grande filme inglês foi Pátria Acolhedora (English Without Tears, 1944), com Michael Wilding e Lili Palmer. O filme foi lançado, com sucesso, nos Estados Unidos.

Seu trabalho na Inglaterra chamou a atenção de Hollywood. O produtor Darryl F. Zanuck, chefe da 20th Century-Fox [VIDEO], a contratou para estrelar Entre o Amor e o Pecado (Forever Amber, 1947), mas o diretor Otto Preminger a considerou muito jovem para o papel e ela acabou substituída por Linda Darnell.

Zanuck, então, a escalou para Tenho Direito ao Amor (The Late George Apley, 1947) e em seguida a colocou em Rosas Trágicas (Moss Rose, 1947), uma grande produção do estúdio que acabou sendo um fracasso nas bilheterias.

Na Fox, ela ainda faria Homem em Fuga (Escape, 1948) e Os Prados Verdes (Green Grass of Wyoming, 1948). Depois retornou para a Europa [VIDEO], onde filmou Se Isto é Pecado (That Dangerous Age, 1949), ao lado de Myrna Loy.

De volta aos Estados Unidos, atuou ainda em mais um filme, Mortalmente Perigosa (Gun Crazy, 1950), um de seus filmes mais famosos.

Após desistir de Hollywood, retornou definitivamente para a Inglaterra, onde ainda atuou em alguns filmes, inclusive o terror A Noite do Demônio (Night of the Demon, 1957), de Jacques Tourneur.

Seu último trabalho no cinema foi na comédia Deu a Louca no Doutor (In the Doghouse, 1962). Depois ainda fez algumas aparições em séries de televisão, até deixar a carreira definitivamente em 1965. Depois, ela passou a dedicar-se a família e a atividades beneficentes, trabalhando para arrecadação de fundos para causas sociais e pesquisas médicas.

Veja Peggy Cummins em Mortalmente Perigosa (Gun Crazy, 1950):

Porém, constantemente dava entrevista a comparecia em relançamentos e comemorações de seus filmes, sempre atendendo gentilmente a seus fãs. Peggy Cummins faleceu em sua casa, na noite de 29 de dezembro de 2017, aos 92 anos.