Fazer releituras de obras de Arte clássicas através de fotografias, ilustrações ou inserção de elementos atuais ou lúdicos é uma maneira bastante interessante - e muitas vezes inspiradora - de homenagear e trazer à tona a importância da expressão artística em nossa sociedade. Desde o tempo das pinturas rupestres nas cavernas até os dias atuais, muito de nossa expressão artística já foi transposta para os computadores. [VIDEO]

Vez ou outra, uma destas releituras chama a atenção, seja em razão de seu conceito ou de sua execução primorosa; as releituras de obras de arte icônicas realizadas para as capas da revista Elle Brasil são parte de um destes casos.

Conceitualmente inteligentes e de execução caprichosa, as fotografias trazem Celebridades da TV, da moda, da música, do teatro e do cinema em obras clássicas [VIDEO] de Leonardo Da Vinci, Gustav Klimt, Edvard Munch, David Hockney e Sandro Botticelli.

Para a Elle, a arte é o antídoto ideal para a negatividade da vida. As capas foram publicadas no começo do mês passado.

Caso você ainda não as tenha visto, confira agora as incríveis releituras da Elle Brasil:

Mona Lisa - Leonardo Da Vinci

A atriz Sonia Braga foi a escolhida para representar a Mona Lisa, recriando seu famoso sorriso misterioso, carregado de uma beleza atemporal. A publicação não economizou capricho nos detalhes, e até mesmo as cores da pintura mais famosa de Leonardo Da Vinci foram preservadas com o máximo de fidelidade.

O nascimento de Vênus - Sandro Boticelli

Em um dos conceitos mais ousados e encantadores deste projeto, a Elle Brasil coloca a modelo transgênero Lea T. para representar o modelo da feminilidade e da delicadeza da obra 'O Nascimento de Vênus', de Sandro Boticelli.

A ousadia vai além da presença de uma trans como a própria Vênus; enquanto a Vênus de Boticelli representava o padrão de beleza de sua própria época, a Vênus da Elle representa o nosso padrão de beleza atual: a pele bronzeada no lugar da pele branca, além do corpo menos curvilíneo no lugar do corpo mais cheio de 1483. Intencionalmente ou não, a capa faz uma crítica direta a forma como os padrões de beleza sempre permearam a História humana.

O Beijo - Gustave Klimt

O casal de atores Tais Araújo e Lázaro Ramos aparece envolvido em ouro nesta recriação da pintura 'O Beijo'.

Esta foi uma das capas favoritas dos internautas. Cada detalhe desta fotografia evoca Gustav Klimt, famoso por suas pinturas repletas de luz e brilho, conseguidos com o uso de cores quentes, sobretudo tons de amarelo.

O grito - Edvard Munch

A lenda do teatro brasileiro, José Celso Martinez Corrêa, coloca toda a sua expressividade em exercício para "gritar" na recriação da obra mais famosa do expressionista/simbolista Edvard Munch. Na releitura, a atmosfera do quadro é modificada do terror para a alegria, numa interpretação brilhante da equipe da revista Elle em parceria com Zé Celso. Muito embora o humor da obra tenha sido modificado pela expressão do ator, diretor e dramaturgo, a essência ainda é totalmente fiel á pintura original.

Joiners - David Hockney

Caetano Veloso aparece em meio às cores e aos movimentos presentes na perspectiva desconstruída da série Joiners, de David Hockney. A própria Elle definiu a escolha de Caetano em razão de sua característica de multiartista, que casa perfeitamente com a multiplicidade de perspectivas utilizadas por Hockney.

E você, gostou das capas? Qual a sua favorita?

Deixe sua opinião nos comentários.