Tanto o estilo musical quanto a ideologia do movimento punk, originário do final da década de 70, ao menos no que depender da banda oriunda da zona leste de São Paulo, a "90 Em Chamas", não somente respira, como continua gritando e vibrando como nunca.

Vivo, ativo e atuante no cenário underground, longe do grande público, mas com lugar cativo no coração dos punk rockers das periferias, o punk tradicional, carregado de energia e atitude ecoa dos headphones ou das caixas acústicas em uma sonoridade de extrema qualidade, revelada no debut álbum do quarteto 90 Em Chamas.

Nas principais plataformas

Lançado nas principais plataformas de streaming e virtuais, como YouTube, Deezer, Spotify, Soundcloud, entre outras, “Resistir” foi lançado no começo de março de 2018, e já tem repercutido de forma positiva no cenário musical.

Na cena desde 2012, após algumas alterações na formação, hoje o "90 Em Chamas" conta apenas com o vocalista Hugo Lemos da primeira formação da banda.

Somando com ele, o "90 Em Chamas" ainda tem no time as poderosas batidas de Cako Oliveira na bateria (que fez parte da banda de ska mais cafeinada da história da ZL de SP, o Skafeína), Júlio Vitória nos poderosos riffs na guitarra e Bruno Fiorio, no baixo marcante e cadenciado.

Gravado em pouco mais de um dia

De acordo com o release da banda, “Resistir” foi gravado em 36 horas no interior de SP, mais precisamente no estúdio Audioground, sendo que a mixagem e gravação ficaram a cargo da dupla Fabiano Gil e Umberto Buldrini, que conseguiram extrair e captar toda a honestidade sonora da "90 Em Chamas".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Música

Quem acompanha a banda já está familiarizado com as faixas que compõem o play. Em pouco mais de 20 minutos, as 8 canções que fazem parte desse registro abordam temáticas do cotidiano, destilando o bom e velho Punk Rock, em toda sua essência.

São elas:

1- Isto é violência;

2- Não tente se esconder;

3- 7 de setembro;

4- Quero ser criança;

5- Energia;

6- Nos guetos;

7- Resistir;

8- Ficar parado.

Numa linha tradicional, às vezes puxada para o 77, e outras um pouco mais agressivas, o disco que só é encontrado no universo virtual pode ganhar ainda esse ano sua versão física em CD, e cabe muito bem na mesma prateleira de grupos seminais do punk nacional como o Cólera (que aliás, acaba de lançar seu primeiro disco após o falecimento do vocalista/guitarrista/letrista Redson - “Acorde!

Acorde! Acorde!), e Deserdados (famosos pelo estilo Punk Rock de Combate).

Detalhe: a bela arte da capa foi feita pelo artista Vinicius Quesada. Vale muito a pena conferir a estreia matadora do "90 Em Chamas"!

Confira abaixo esse que já um os melhores discos do punk nacional em 2018:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo