O “Arraial Arte na Rua 2018”, promovido pela “Globo” com apoio da Prefeitura de Guarulhos, atraiu milhares de pessoas ao Bosque Maia, nos dias 23 e 24. Mais de 400 artistas da cidade e de outros estados do País tiveram a oportunidade de mostrar seus talentos durante esse espetáculo com diversas atrações e culinária caipira. É a segunda edição do festival no município.

A animação reuniu moda de viola contando a saga dos boiadeiros e lavradores, anedotas caipiras e sofrimento por um grande amor. Tudo isso aliado a comidas típicas de festa junina, como feijão tropeiro e iguarias de milho, como curau.

Objetivo do Arraial de Arte na Rua é valorizar cultura popular

O objetivo da empresa com eventos desse tipo é valorizar a cultura popular brasileira. Os visitantes do local puderam apreciar músicas tocadas ao som de viola e apresentações de quadrilhas, enquanto degustavam comidas de festas juninas, como pamonha, café torrado e quentão. Entres outras atrações, apresentaram-se na arena principal: Vera Bianca e Guaru, Quadrilha Asa Branca e Cirandas de São João da Trupe Companhia de Artes. Os holofotes também mostraram o Balé Caipira, a Orquestra Coração da Viola e Quadrilha Tia Chalico.

Globo começou Arraial de Arte na Rua em 2014

A Globo, que promove essa série de atividades em espaços públicos desde 2014, trouxe ainda para o Bosque Maia o movimento quadrilheiro que vem crescendo no Sudeste do País, montando grandes shows, mesclando teatro, música, dança, humor e folclore. Muitos desses artistas se preparam com ensaios o ano todo para competições que ocorrem em todo o Brasil.

O presidente da Comissão Paulista de Folclore e curador desse Arraial Arte na Rua, Diego Dionísio, destacou que iniciativas como essa da Globo valorizam ainda mais essa cultura popular, propagando as múltiplas identidades dos arraiais do Brasil.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Televisão

Com cerca de 150 pessoas na organização, foi dado ao local um aconchego de roça, transportando os visitantes à área rural, após sentirem o cheiro do café feito em fogão de lenha, degustando bolinho de chuva e ouvindo modas de viola, com grupos de violeiros e repentistas de Guarulhos, Cotia e Carapicuíba.

Bolinho caipira, rojão, vaca atolada, frango com polenta e tutu de feijão contribuíram para a felicidade daqueles que possuem o mais apurado paladar quando o assunto é comida caipira.

Essa diversidade do cardápio foi distribuída por 15 ranchos no espaço Maia, por produtores de aproximadamente 18 cidades do estado de São Paulo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo