A ideia inicial do cineasta brasileiro Fernando Meirelles era construir uma narrativa seguindo o padrão tradicional de que cada história tem um herói e um vilão, mas ao longo do caminho, o diretor do aclamado "Cidade de Deus" decidiu mudar o direcionamento de sua produção "Dois Papas", que estreia na Netflix no próximo dia 20. Em sete séculos, esta é a primeira vez que a Igreja Católica tem dois papas vivos, sobre isto que se trata o longa-metragem protagonizado por Anthony Hopkins (Bento 16) e Jonathan Pryce (Francisco), o filme conta ainda com Juan Minujín que interpreta um jovem Francisco.

Preconceito

O filme de Meirelles mostra debates imaginários entre o papa alemão rigoroso e conservador e seu sucessor de origem argentina e mais progressista. Em declaração dada à Agência France Presse, o cineasta admite que tinha uma ideia de que Bento16 era o "papa mau" enquanto Francisco era o "papa bom". Porém, durante o avanço da produção ele aprendeu mais com estes dois homens e sua visão sobre eles começou a mudar.

Meirelles afirma que leu algum dos artigos escritos por Bento 16 e ouviu alguns de seus sermões e confessa ter achado muito interessante, ele acredita que as pessoas criaram uma imagem irreal de que o papa alemão era ligado ao regime comandado por Hitler.

O diretor vai além e afirma que na verdade, Bento 16 é bem parecido com seu sucessor, o papa Francisco, opinou o diretor.

O talento de Bento 16 ao piano e o fanatismo de Francisco por futebol foram temas capazes de unir dois papas de pensamentos tão diferentes. Isto se dá no filme por meio de diálogos entre os dois ocorridos na residência papal e também na Capela Sistina.

Oscar

O filme de Meirelles já está sendo cogitado a ser candidato ao Oscar, o que levou Anthony Hopkins a comemorar a boa acolhida que o filme teve.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Famosos Seriados

Hopkins acredita que o filme possa ensinar algo ao mundo sobre intolerância. "Vamos conversar, nos sentar, vamos parar de ficar tão tristes com tudo", aconselhou o ator vencedor do Oscar.

Em um momento do filme, Bento 16 confessa a Francisco que tinha conhecimento das acusações históricas que pesavam sobre o cardeal mexicano Marcial Maciel. Porém, o áudio da cena é logo cortado, o que deixa uma deixa para o público preencher as lacunas.

Meirelles explica que teve muito cuidado para não se aprofundar no tema, pois se houvesse um pouco mais de falas sobre abuso infantil no filme, o foco seria direcionado para este tema, então o filme se tornaria sobre a pedofilia e não sobre os clérigos.

Desafios

Meirelles também falou sobre algumas dificuldades que encontrou ao fazer o filme, uma diz respeito à quantidade de diálogos, apesar de elogiar o roteiro, o diretor admite que o filme basicamente fala sobre “dois caras conversando", brincou o diretor. Para resolver o problema, o cineasta criou estratégias para que a dupla aparecesse mais em movimento. Infelizmente, para o diretor, ele não teve autorização para rodar cenas dentro da Capela Sistina. Os dois protagonistas aparecem em cena comendo uma pizza dentro da capela, então uma réplica exata do local teve que ser construída.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo