A língua portuguesa é uma das línguas mais difíceis para aprender, pois conta com inúmeras regras gramaticais, de acentuação e outros. Até mesmo para nós, brasileiros natos, é um pouco complicado aprender a língua. Hoje, cerca de 27% da população brasileira é analfabeta funcional, ou seja, conhecem letras e números, porém não conseguem escrever bem ou fazer operações matemáticas. Um número ainda mais assustador é o de analfabetos no país, que somam cerca de 13 milhões de pessoas, o que representa 8,7% da população acima de 15 anos. Todos nós já ouvimos ou lemos um “bassoura”, “menas” ou até mesmo já vimos um “agente” quando a real intenção era escrever “a gente”.

Para mostrar que os falantes da língua portuguesa necessitam de ajuda imediatamente trouxemos uma galeria com Erros tão absurdos que deveriam ser considerados como inadmissíveis. Confira:

  • Fico felis poriço: a Dona Lourdes está muito feliz, porém, quem a vê escrevendo assim provavelmente sente uma dorzinha no coração diante de tantos erros e não fica tão feliz quanto ela.

  • Tu mora en qui sidadi: às vezes, pode ser muito difícil conversar com alguém que comete muitos erros na escrita, porém, devemos sempre ter paciência com estas pessoas, mas paciência foi algo que a menina da conversa abaixo não teve.

  • Doçes e jeneros alimentisimos: um erro muito comum e que vemos diariamente nos carrinhos que vendem água de coco nas ruas, praias e parques é a palavra “côco”. Por isso, viemos fazer um alerta, a fruta coco, aquela que dá uma água deliciosa e que nos refresca em dias quentes não tem nenhum acento, portanto, o correto é coco e não côco. Quanto ao restante dos erros, é melhor nem comentar, pois são absurdos.

  • Si centino muito doente: além dos sintomas da dengue vemos também sintomas de um grave caso de analfabetismo.

  • Cera com tra nois: ficamos na dúvida se ao dizer cera eles se referiam à cera depilatória ou a outros tipos de ceras. Porém, como ela está “com tra” eles, chegamos à conclusão que era a cera depilatória.

  • Me esprica: a força de vontade desta pessoa é surpreendente, ela deveria mesmo ganhar muitos livros.

  • Foje á luta: não fugiremos apesar dos erros de português.

  • Porque a carga horaria almentar: a própria faixa explica a pergunta feita pelos alunos.

  • Somos professores exijimos respeito: de fato os professores devem ser respeitados em qualquer circunstância, porém, a população também exige algo deles, algo mínimo, exigimos que eles saibam escrever corretamente.