Um dos assuntos que ocupam mais espaço na vida humana - e isso acaba por se refletir no espaço que ocupa nas artes - é o amor (as almas mais cínicas dirão que é o sexo, não o amor, mas deixemos para lá essa discussão que não nos interessa no momento). Dentre as modalidades de amor, o amor não correspondido deve ser o que mais impele artistas a compor, pintar, escrever, esculpir, produzir arte, enfim (talvez porque quem está vivendo um amor correspondido tem coisa melhor para fazer do que ficar quebrando a cabeça para achar a justa forma de expressar seus sentimentos - sexo, por exemplo, lembrarão novamente as almas cínicas que citamos antes).

Publicidade
Publicidade

Outro tema correlato que vem há séculos e séculos incendiando as almas dos artistas e dando alma às suas tramas e enredos - dos gregos antigos, com seu Zeus sedutor e seu Ares namorando a bela Afrodite, mulher do feio Hefesto à mais recente novela das oito- é o da traição ou da crença de estar sendo traído. Otelo, na famosa peça de Shakespeare, crê estar sendo traído pela sua mulher, a inocentíssima Desdêmona. No romance Dom Casmurro, obra do nosso Machado de Assis, o narrador vê traços do seu melhor amigo, já falecido, no filho pequeno e conclui que foi traído, crença que lhe amargura os dias daí por diante.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos

O cantor e compositor Lupicínio Rodrigues foi, pela natureza das suas canções, chamado de o "filósofo da cornitude".

Bom, a "cornitude" não morreu, nem, provavelmente, jamais morrerá enquanto houver mais de dois humanos nesse mundo. Assim sendo, não é de espantar que ainda se façam canções sobre traição. Sabia que tanto "Infiel”, música de Marília Mendonça, e "50 reais", canção de Naiara Azevedo, baseiam-se em "fatos reais".

1 - "50 reais"

O famoso general americano Douglas MacArthur disse em um célebre discurso que apenas os mortos já viram o fim da guerra.

Publicidade

Bom, no Brasil, apenas os surdos não ouviram a canção de Naiara. A canção inspira-se em um caso real acontecido há cinco anos. A artista descobriu que o namorado a estava traindo porque ele deixou o Face aberto no computador dela (erro primário, aliás) e a cantora viu uma mensagem dele para "a outra". O flagrante relatado na música aconteceu - só que não foi bem uma cédula de cinquenta reais que ela jogou no casal, foi algo mais pesado, ela diz, embora mantenha o mistério sobre a natureza exata do projétil.

Não bastasse o exercício de balística, a moça ainda imortalizou os dois traidores em uma canção. Como dizem os gringos, "o inferno não contém ira como a de uma mulher desprezada". Azar do casal pego no flagra, sorte da música sertaneja.

Ouça abaixo “50 Reais” de Naiara Azevedo:

2 - "Infiel"

A música de Marília Mendonça baseia-se na experiência de outra pessoa, uma tia da cantora. A tia, segundo a cantora, acabou perdoando o companheiro traidor, mas Marília compôs a música descrevendo o comportamento que ela preferia que a tia tivesse adotado diante da traição.

Publicidade

Confira a música “Infiel” de Marília Mendonça:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo