Ter um Relacionamento duradouro, nos dias atuai,s não é tarefa fácil e, por mais tempo que um Casal já esteja vivendo junto, ainda assim, algumas vezes, tanto o homem como a mulher se pegam em dúvidas sobre quanto tempo a união ainda vai durar.

Segundo cientistas – economistas – da Universidade da Virginia, 2 simples perguntas, podem ajudar a prever se duas pessoas vão se separar ou não nos próximos anos, mais precisamente nos 6 seguintes.

Para chegarem a uma real conclusão, os pesquisadores reuniram 3.600 casais heterossexuais que, precisamente, tinham como objetivo responder as tais perguntas.

Publicidade
Publicidade

As 2 principais questões da análise estavam em um questionário amplo, que foi respondido pelos participantes.

Depois de fechar o questionário, os economistas analisaram as respostas dos participantes e conseguiram prever quais eram os casais que mais tinham mais chances de permanecerem juntos pelos seguintes anos.

A primeira pergunta

Para chegar à primeira conclusão, os pesquisadores perguntaram para cada um dos participantes qual seria o grau de felicidade que ainda permaneceria em suas vidas, se o relacionamento acabasse. Eles tiveram que dar pontos em escalas de 1 a 5 para respostas como: ‘pior’, ‘muito pior’, ‘igual’, ‘melhor’ ou ‘muito melhor’.

Apenas duas perguntas podem definir se um casal vai ficar mais tempo junto ou não
Apenas duas perguntas podem definir se um casal vai ficar mais tempo junto ou não

Segunda pergunta

Depois de responderem à primeira questão, eles foram para a segunda que, da mesma forma, pedia informações sobre qual o grau de felicidade que achavam que o cônjuge ainda teria se eles se separassem. As respostas a serem escolhidas e pontuadas eram as mesmas da primeira pergunta.

Depois de 6 anos...

Os casais foram analisados pelos próximos 6 anos após a pesquisa e foi descoberto que 7% deles haviam se separado. Entre eles, a resposta da segunda pergunta foi a mais relevante.

Publicidade

Para os que avaliaram a felicidade do parceiro – caso se separassem – de um modo menos certeiro, a taxa de divórcio foi maior em 8,6%. Isso para os que não sabiam, ao certo, se seus cônjuges ficariam mais ou menos felizes com a separação.

Os pesquisadores ainda conseguiram descobrir que, quanto maior for a dificuldade de conseguir prever o nível de felicidade do cônjuge, maior chance o casal terá de se separar. Essa taxa foi medida e chegou a 12% a mais do que o restante observado durante a pesquisa.

Principais fatores

Os cientistas descobriram que o abismo entre compreender mais sobre a felicidade do cônjuge está relacionado ao simples fato de que as pessoas costumam superestimar o bem-estar dos seus parceiros. E ainda pelo que analisaram, o mesmo fator pode levar uma pessoa a não se preocupar muito em agradar a outra, o que indica que existem problemas de comunicação entre as duas. Esse fator ocasiona problemas em um casamento, podendo acabar com a relação.

Publicidade

Leia tudo e assista ao vídeo