Muitas vezes, a depilação íntima é vista como um hábito saudável, higiênico e estético. Ou também como um padrão de beleza extremo, bem parecido com as antigas formas de tortura feminina, tais como o uso de espartilhos para modelar a cintura ou pés atados para mantê-los delicados e pequeninos.

Publicidade
Publicidade

Mesmo que a prática seja vista como necessária por muitas mulheres, o que poucas sabem é que isso pode influenciar negativamente a Saúde feminina. Estudiosos norte-americanos revelaram qual seria a relação dos pelos pubianos com algumas Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) – e os resultados obtidos foram extremamente surpreendentes.

Qual é a relação?

Depois de alguns estudos, eles finalmente descobriram que a depilação íntima pode estar relacionada a DSTs cutâneas – como sífilis, molusco contagioso e herpes -, secretórios – como HIV, clamídia, gonorreia e piolhos pubianos, mesmo que esse seja mais recorrente em mulheres que não praticam a depilação ou preferem não deixar a área totalmente sem pelos.

Depilação intima feminina pode aumentar índices de DSTs
Depilação intima feminina pode aumentar índices de DSTs

Os estudiosos da Universidade da Califórnia realizaram uma pesquisa abortando os hábitos realizados antes e depois da depilação, o comportamento e rotina sexual e o surgimento de doenças sexualmente transmissíveis em aproximadamente 7.500 voluntários com idade entre 18 e 65 anos.

Eles comprovaram que molusco e sífilis apareciam em pessoas que retiravam todos os pelos ou os eliminavam semanalmente ou diariamente. Aquele modelo de depilação mais cavada ou que remov todos os pelos é conhecido mundialmente como “brazilian wax” (ou depilação à brasileira), é o modelo mais utilizado por mulheres de todo o mundo.

Publicidade

As mulheres que já costumam deixar os pelos ou depilam bem pouco, por outro lado, correm o risco de adquirirem piolhos genitais (ou pubiano), que é um minúsculo inseto que pode se esconder entre os pelos pubianos, causando fortes irritações no local.

Será que a depilação realmente predispõe DSTs?

Os estudiosos realmente comprovaram que a causa mais comum do surgimento de DST em quem se depila pode estar relacionada às micro lesões que frequentemente são causadas na pele durante o ato, facilitando a entrada de micro-organismos causadores de doenças íntimas.

Outra possibilidade não descartada por eles, porém menos provável, é o compartilhamento de materiais utilizados durante a depilação, como espátulas, lâminas e tesouras. Para finalizar, os estudiosos notaram que as pessoas que costumam praticar a depilação podem apresentar um comportamento íntimo mais arriscado, o que poderia denunciar o aparecimento mais frequente de algumas Doenças Sexualmente Transmissíveis.

Leia tudo