Esse é um daqueles hábitos que causam desconforto e incômodo a muitas pessoas, mas que ninguém tem uma receita exata de como superá-lo. A onicofagia é o vício de roer as unhas, que é geralmente apresentado por crianças e adolescentes e tem relação direta com questões emocionais. Pelo menos metade dos indivíduos em idade escolar apresenta o problema.

Mas muitas pessoas seguem com o costume na vida adulta, ou mesmo desenvolvem a mania, por conta de desequilíbrios pessoais, estresse intenso e transtornos de ansiedade, o que pode levar a problemas na pele e aos dentes, além dos inconvenientes na parte estética.

Grande parte das pessoas busca tratamento com soluções tópicas aplicadas diretamente no local, mas esses produtos geralmente mostram pouca eficácia, pois a melhor forma de tratar é resolvendo a parte psicológica.

Psicoterapeutas desenvolveram um estudo e apresentaram uma lista com coisas em comum entre pessoas que têm esse mau hábito. Então, revelaram traços da personalidade de quem rói as unhas.

Estressados

Como a prática apresenta um efeito calmante, ela é usada como forma de baixar a ansiedade em pessoas que estão passando por momentos de conflito ou estresse.

Perfeccionistas

Por incrível que pareça, alguns fazem isso porque ao olharem as mãos e perceberem qualquer pelezinha sobrando ou irregularidade como uma unha que lascou vão tentar corrigir usando os dentes. Então, vale lembrar que com isso podem causar danos à boca e a pele.

Ociosos

Determinados indivíduos são mais agitados e ao ficarem entediados acabam usando o hábito como um estimulo, até mesmo para se sentir mais animados.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Relacionamento Curiosidades

Imitadores

Crianças têm mania de imitar gestos e hábitos dos pais e familiares. Ao verem os adultos praticando, podem começar a fazer também e persistir com o Comportamento por muito tempo.

Emocionalmente abalados

Baixa autoestima, timidez, insegurança, sofrimento relacionado a perdas de entes queridos ou desilusões amorosas podem agravar ou trazer o problema de volta. Nestes casos quando a pessoa retoma seu estado normal, geralmente larga o hábito.

Causas psicossomáticas

Muitas pessoas fazem isso como forma de se autoagredir, ou chamar a atenção para algo que esteja muito errado no convívio familiar. Roem as unhas, até se machucar ou mesmo tirar sangue das mãos.

Para estes é necessário que procure um tratamento com psicólogos ou psiquiatras para que se faça um diagnostico mais detalhado da verdadeira causa do problema, que possivelmente venha acompanhado de outros fatores.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo