As crianças e adolescentes que viveram no Brasil nos anos 80 e 90, com certeza cresceram ouvindo diversas histórias aterrorizantes envolvendo nomes famosos e personagens fictícios, bastantes conhecidos do público que assistia à TV na época.

Misturando ficção e realidade, diversas lendas urbanas surgiram e algumas delas até hoje são sustentadas por pessoas que afirmam possuir evidências que, de fato, algo sobrenatural aconteceu envolvendo determinados personagens.

Confira agora, 5 lendas urbanas brasileiras que foram ou continuam sendo contadas.

1- Boneco do Fofão

Muito famoso entre as crianças, o Fofão era uma espécie de palhaço amigo de todos.

Com bochechas enormes e um cabelo ruivo todo atrapalhado, o boneco que se trajava com um macacão jeans e uma camisa de listras coloridas, começou a ser comparado com a figura do Chucky [VIDEO], o 'brinquedo assassino'.

De acordo a lenda envolvendo o boneco Fofão, o mesmo teria poderes sobrenaturais e hipnotizava as crianças, fazendo com que as mesmas atacassem e matassem seus amigos e familiares, utilizando um punhal, que o mesmo trazia em seu corpo.

2- Brincadeira do copo

A famosa brincadeira, que visava invocar espíritos e demônios, foi realizada por milhões de pessoas, principalmente na adolescência. Utilizando um copo de vidro, um compasso, as palavras sim e não e todas as letras do alfabeto, o objetivo da brincadeira era realizar a vontade dos seres ocultos e vê-lo se manifestar através do copo.

3- Xuxa [VIDEO] satanista

Enlouquecidos com o sucesso nacional da 'Rainha dos Baixinhos', diversas pessoas chegaram a afirmar que a artista teria feito um pacto com o diabo e até mesmo vendido sua alma ao ser maligno, em troca de fama e dinheiro. Fãs da teoria da conspiração, afirmavam ainda, que diversas músicas cantadas por Xuxa, quando rodadas de trás para frente, traziam invocações malignas e sons vindos diretamente das profundezas do inferno.

4- Chupa-cabra

A lenda que assombrou milhões de brasileiros nos anos 90, tinha como protagonista um animal, que supostamente invadia as casas e fazendas do interior do país, atrás do sangue quente de cabras, vacas e galinhas, matando-os com um dentadas afiadas na região do pescoço, de onde tirava uma quantidade de sangue e deixava posteriormente o corpo do animal sem vida no chão.

5- Seringas com AIDS no cinema

Após explodir a descoberta da AIDS e a proliferação da doença entre brasileiros, diversos boatos acerca de contaminados com vírus dispostos a passá-lo para o maior número de pessoas tomou conta do país e chegou às filas dos cinemas, onde fortes boatos de que doentes deixavam seringas contaminadas nas poltronas a fim de espetarem e contaminarem diversas pessoas no escuro.