O nome do herói é Nicholas Winton, e ele nasceu em Hampstead, Inglaterra, na data de 19 de maio de 1909. Seu ato heroico foi salvar 669 crianças de irem para os campos de concentração na Alemanha nazista, onde provavelmente seriam submetidas a torturas e acabariam sendo mortas nas câmaras de gás. O salvamento [VIDEO]das crianças judias aconteceu na então Checoslováquia, pouco antes delas serem submetidas à deportação.

Seu trabalho foi parecido com o de Oskar Schindler, que ficou mundialmente famoso pelo filme “A Lista de Schindler”, dirigido pelo aclamado diretor Steven Spielberg, que venceu nada menos de 7 Oscars, incluído melhor diretor e melhor filme.

E em 2007, foi eleito o 8º melhor filme americano já produzido. Graças a semelhança, Oskar ficou conhecido como “Schindler britânico”, pois conseguiu salvar muitas pessoas com o seu trabalho.

Seu reconhecimento veio no ano de 1883, quando ganhou [VIDEO]o título de “Sir”, sendo a partir disso conhecido como um membro da Ordem do Império Britânico, mas isso ainda não foi pelo salvamento das crianças, mas pelo seu trabalho na instalação de asilos na Grã-Bretanha. Pelo salvamento ele subiu ainda mais na hierarquia, sendo promovido a Cavaleiro no ano de 2002, pela rainha.

Mas não foi apenas na Inglaterra que ele foi homenageado, mas também pelo governo Checo, que o homenageou em 1998. O herói ganhou até mesmo uma escola com seu nome na República Checa. Além disso também foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz.

Nicholas era filho de judeus, que tinham vindo da Alemanha para a Inglaterra no ano de 1907, dois anos antes de seu nascimento, inclusive o sobrenome original da família não era Winton, mas “Werheim”. A mudança faz parta da integração, e também adotaram o cristianismo como religião após se estabelecerem.

No ano de 1931 ele adquiriu formação na área bancária no Banque Nationale de Crédit, na cidade de Paris e, retornando para a Inglaterra, foi trabalhar na Bolsa de Valores de Londres no cargo de corretor.

No final do ano de 1938, ele foi ajudar um amigo, chamado Martin Blake, com seus trabalhos humanitários, onde viu a real situação dos judeus naquele período e foi então que ele percebeu que na verdade não haviam planos concretos de salvar aquelas crianças para tirá-las daquele lugar.

Então Nicholas decidiu tomar as devidas providências e entrou em contato com uma organização em Londres que tinha a finalidade de conseguir alojamento e fundos para as crianças refugiadas. Mas ainda precisava de permissão do governo, que no final foi concedida pela Câmara dos Comuns do Reino Unido, mas exigia que para cada criança fosse depositada a garantia de 50 libras.

Ficou conhecido nessa época como “Britânico da Rua Wenceslas”, pois as famílias judias, sabendo do boato, queriam colocar os seus filhos para que ele os salvasse. Engana-se quem pensa que esse salvamento foi apenas uma operação, mas as 669 crianças foram salvas ao longo de 9 meses, em situações muitas vezes complicadíssimas.

Nicholas Winton faleceu aos 106 anos, no ano de 2015, deixando uma lição para a humanidade.