Ao longo das últimas semanas nos EUA têm eclodido vários conflitos entre simpatizantes da KKK (Ku Klux Klan), organização supremacista branca, e grupos contrários ao racismo.

Os enfrentamentos aumentaram depois que a estátua de Robert E. Lee, um outrora general comandante dos exércitos confederados na sangrenta Guerra Civil norte-americana foi removida no mês passado na cidade de Charlottesville, no Estado da Virgínia.

Os simpatizantes e membros da KKK disseram que a liberdade de expressão foi ferida, mas os anti-racistas responderam entoando a frase: “racistas, vão para casa".

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

Histórico da KKK

Com tantas notícias nos EUA, o que é de fato a KKK? [VIDEO] De uma forma muito objetiva, a KKK não passa de uma milícia racista e conforme falado por alguns estudiosos, de cunho criminoso, que foi originada no Sul dos Estados Unidos após a Guerra Civil Americana (1861-1865).

A KKK, que é composta de pessoas brancas, foi contrária à libertação dos escravos americanos e consecutivamente, a reintegração dessas pessoas a uma sociedade legal estabelecida.

Muitos membros da KKK durante o transcurso da história, praticaram linchamentos, estupros, massacres e muitas outras barbáries contra os negros.

Na cidadezinha de Pulaski, localizada no Tennessee, em 1866, 6 homens saíam com lençóis brancos sobre as cabeças, assustando os negros das fazendas da região; porém, tais brincadeiras de inclinação duvidosa foram se agravando e se tornaram violentas e de cunho político.

Enfim, tinha acabado de nascer a Ku Klux Klan, cujo nome deriva da palavra grega “kyklos” (círculo) e da escocesa “klan”. Em cerca de um ano, o movimento atingiu 500 mil adeptos em diferentes cidades do país.

No ano de 1870 as autoridades dos EUA estabeleceram que a KKK era uma facção criminosa, [VIDEO] mas na região Sul do país, a KKK continuou a ter força devido as leis segregacionistas ali existentes.

As leis citadas acima foram chamadas de “Jim Crow”, que é um personagem bobo e negro do folclore norte-americano, mas de inocentes não tinham nada, uma vez que proibiam que ônibus, cinemas e restaurantes tivessem assentos reservados para negros. O estabelecimento que descumpria era punido pelo governo local e membros da Klan

Violência da KKK

Na medida em que os negros locais fugiam para outros Estados dos EUA, a KKK começou também a se propagar, tendo a sua 1ª sede oficial em Nashville, debaixo da chefia de Nathan Bedford Forrest, denominado de o “Grande Mago, cuja região de atuação era chamada de “Império”. Todas as pessoas que não pertenciam ao Império, eram do “mundo alienado”.

Para lembrar a sua presença marcante os membros da KKK usavam o branco tendo um chapéu pontudo, fazendo alusão aos fantasmas, que segundo eles, eram dos soldados confederados que morreram nos combates da Guerra Civil.

Apesar de em determinadas épocas a KKK perder muito da sua força, vários dos seus adeptos se envolveram diretamente com a política, e não é à toa que 5 ex-presidentes dos EUA foram simpatizantes diretos da facção, a saber, William McKinley, Woodrow Wilson, Warren G. Harding Calvin Coolidge e o Harry S. Truman.

De 1914 a 1924, a KKK se organizou e passou a focar outros “inimigos” como homossexuais, judeus, imigrantes, católicos e comunistas e foi nessa época que a Klux chegou a ter 5 milhões de membros.

Devido à “Grande Depressão”, a Klan parou de atuar em 1944, enquanto era comparada aos nazistas alemães.

Houve o acirramento nos anos 50 e 60 entre os anti-racistas, que queriam o fim da segregação racial, e os novos membros da KKK, ainda mais agressivos.

Com o envolvimento da imprensa no assunto, Lyndon Johnson, presidente dos EUA na época, aprovou a lei dos Direitos Civis, derrubando as leis “Jim Crow”, o que causou a extinção da KKK em 1981.

KKK atualmente

Por outro lado, não se pode esquecer que ainda existem atualmente 190 associações sobrevivendo com pequenas doações e que disseminam os mesmo ideais da KKK original.

Essas associações possuem um jornal, membros ativos na política, [VIDEO] e o nome KKK por ser considerado de domínio público, é usado por outros grupos anti-sociais, como, por exemplo, os Klans Imperiais do Brasil, que vociferam contra negros, muçulmanos nordestinos e gays.

A hierarquia da KKK

Os líderes de menor status elegiam os cargos que iriam liderar a organização, tendo os seguintes títulos fantasiosos, extintos em 1944:

  • Grande Mago: o principal responsável em definir a área de atuação da Klan;
  • Grande Dragão: comandava os “Reinos”, equivalendo aos Estados norte-americanos;
  • Grande Titã: chefiava os "Domínios" ou união de três condados;
  • Grande Gigante: liderava uma única "Província", o equivalente a um condado;
  • Ciclopes, Mágicos e Monjes: compunham a ala “religiosa”, iniciando os membros mais novos