Dificilmente uma pessoa ignora a beleza, a graciosidade, ou fica indiferente com as travessuras de um filhotinho fofinho [VIDEO], mas parece que eles vieram ao mundo para nos encherem de alegria, mudar o nosso astral, e mostrar que são realmente o que falam por aí:

"Nós somos os melhores amigos do homem e das mulheres também lógico!"

Sim, estamos falando dos 'pets', dos filhotinhos de cães, no caso, mas só esclarecendo, a palavra pet em inglês britânico é usada para se referir carinhosamente a um amigo ou amiga. Aprofundando um pouco mais, descobriremos que a palavra surgiu lá no final do século 14, na Escócia, e norte da Inglaterra, e tinha o sentido de 'animal domado'.

Mas já teve o sentido de 'animal favorito' ou 'animal de estimação' em 1530. Não está muito claro ainda, mas acredita-se que "pet" tem sua origem, ligada à palavra 'petty', sentido esse usado para definir como 'small' ou seja (pequeno). Petty vem do francês 'petit' que saiu do latim vulgar 'pittinus' e por aí vai.

É, tem muito mais significados para "pet" do que possamos imaginar. Podemos chamar o nosso animalzinho de estimação de 'pet dog', 'pet cat", 'pet hamster', 'pet habbit' etc...

Nós, como donos de 'pets', também somos rotulados, "Pet owners", e essa expressão ganha força, quando ouvimos alguém dizendo: "What's wrong, pet?" ("qual o problema, meu amigo"), e pode mudar de situação dependendo do caso. "Pet" passa a ser "protegidinho", ou "queridinho", exemplo na expressão "teacher's pet", o "queridinho do professor".

Mas algo tão importante quanto a origem da palavra 'pet', é quando recebemos um cachorrinho novo para fazer parte da família, pois é normal que ganhe a atenção de todo mundo [VIDEO], o que, infelizmente, acaba prejudicando o bichinho lá mais na frente.

O que acontece é que o cãozinho acaba se apegando ao dono e sofre muito, com a ausência do mesmo, que não poderá estar presente, como o animalzinho gostaria que ele (a) estivesse, e acredite, ele sabe que dependerá do seu dono profundamente.

É dificil imaginar como, mas a maneira mais segura saudável e menos cruel de criar o seu cachorrinho, seja de raça pequena, média ou grande, é fazer com que ele seja independente. Ele continuará te amando, sendo carinhoso, com a diferença que não irá sofrer com a sua ausência, daí é só alegria.

E falando em alegria, aqui vai uma relação de fofuras que irá deixar você tão envolvido com as carinhas, beleza, e, por que não, "malandragem" dessas, muitas vezes, "pestinhas", mas que certamente melhorarão o seu dia, tornando-o mais agradável, mostrando que tamanho não é documento, pelo contrário, quanto menor, mais folgados. Então relaxe e tente não rir.