O nome dela é Mayra Rosales, atualmente com a idade de 34 anos e residente do Texas, nos Estados Unidos. Seu caso é de superação em uma condição de obesidade dita por muitos como irreversível, mas na verdade ela provou que todos estavam errados.

Ela chegou a pesar mais de 495 quilos, praticamente meia tonelada. Como se passar por essa condição não fosse suficiente, ela era chamada de “Assassina de meia tonelada”. Mas engana-se quem pensa que esse apelido era simplesmente bullying, a acusação foi real.

Publicidade
Publicidade

Tudo aconteceu quando a sua irmã matou o próprio filho com um golpe de uma simples escova de cabelo na cabeça. Então Mayra foi injustamente acusada de matar a criança por rolar por cima dela, e isso teria asfixiado o sobrinho.

O ano de 2008 foi um verdadeiro marco, pois foi quando a americana decidiu mudar de vida. Segundo conta, ela estava simplesmente morrendo. Também relata sua depressão quando afirma que tinha desistido da vida, pois apesar de estar viva, não estava aproveitando.

Ela então parou de “viver para comer” e passou a “comer para viver”, e isso fez toda a diferença. Ela afirma ainda que melhorou tudo após sua transformação.

É até difícil reconhecer Mayra quando as suas fotos são comparadas. O tratamento intenso que ela fez melhorou muito a sua saúde, que estava comprometida. Agora, ela afirma que não tem problemas como colesterol alto e pressão alta, mas tudo isso é fruto de um tratamento muito intenso. A queda de peso, de maneira geral, foi fruto de cerca de trinta cirurgias, além de uma reeducação alimentar radical.

Publicidade

O exemplo de Mayra é de superação e sua história deveria ser conhecida pela maior quantidade possível de pessoas. Enfoca um gigantesco problema, que dentro dos próximos anos poderá entrar na lista da Organização Mundial da Saúde, OMS. Essa lista atualmente é composta por ameaças à saúde pública, como, por exemplo, subnutrição e doenças infecciosas. O fato é que a obesidade se faz cada vez mais presente na sociedade, e a principal causa é a veiculação de bebidas com elevado teor de açúcar, como refrigerantes, em escolas e o incentivo cada vez menor às práticas de atividade física por pessoas de todas as idades.

Para se ter uma ideia da gravidade do problema, a obesidade é a causa de cerca de 13% das mortes na Europa e até 8% de todo o dinheiro gasto em saúde é resultado dos custos indiretos do tratamento de pacientes obesos. Mas nos Estados Unidos, lugar onde vive Mayra, cerca de 20% do orçamento da saúde é destinado a pessoas obesas, o que representa um grande impacto econômico, causado por hábitos alimentares ruins e sedentarismo.

Também é inegável a não aceitação da obesidade na própria sociedade, onde as pessoas com sobrepeso são constantemente ridicularizadas, existindo, inclusive, um movimento pró-obesidade, que visa acabar com o preconceito sofrido por essa classe.

Publicidade

Mayra Rosales antes e depois:

Leia tudo