Uma notícia que circula pela internet tem provocado a maior polêmica. Está sendo compartilhado nas redes sociais [VIDEO] que o Brasil será atingido por um furacão mais forte que o Irma. A notícia está provocando o maior alvoroço e deixando muitas pessoas em pânico. Mas, é fato ou boato?

A notícia sobre o furacão no Brasil não passa de boato. A informação que vem sendo compartilhada pelos internautas na web [VIDEO] foi divulgada por um site que costuma publicar notícias falsas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

Segundo a informações noticiadas pelo site, o país seria atingido por um furacão muito mais forte do que o Irma, sendo quatro vezes mais devastador.

O Furacão Irma deixou um rastro de destruição e morte em sua passagem pelos Estados Unidos e Caribe, causando a morte de 108 pessoas, 58 apenas na Flórida (EUA).

A notícia ainda afirma que a informação é confirmada por meteorologistas. Além do Revista NP, responsável pela notícia falsa, outros dois sites replicaram a informação, entre o Gospel Five e o Rota da Notícia. Com a grande repercussão gerada pela falsa notícia do furacão, o site responsável pela informação recuou.

No entanto, não seria difícil constatar que se tratava de uma informação mentirosa. Primeiro devido ao conteúdo do texto citar uma fonte que não existe no Brasil. Um outro fator é que a possibilidade deste tipo de fenômeno natural atingir o país é praticamente remota. Mas, para que as pessoas tenham certeza de que se trata de uma notícia não verdadeira, é o fato dos veículos de comunicação confiáveis não darem essa informação.

Caso realmente fosse um fato concreto, a mídia em peso traria a informação para a população, ou seja, a notícia de que um furacão quatro vezes mais devastador que o Irma atingiria o Brasil é mentira.

De acordo com as informações do Instituto Climatempo, não existe condições climáticas para que se forme um furacão no Atlântico Sul. O professor de meteorologia da USP (Universidade de São Paulo) Ricardo de Camargo afirmou que não existem elementos suficientes nessa região do Oceano Atlântico para que aconteça esse tipo de fenômeno.

Inclusive, o professor acha curioso que as pessoas acreditem neste tipo de informação. Ele ressaltou ainda que no Hemisfério Sul, na região próximo da Austrália e no Oceano Índico, existem possibilidades de formação de ciclones nos primeiros meses do ano, janeiro e fevereiro. Ele deixa claro que não existe motivo para que a população fique alarmada.

Nas redes sociais, a notícia levantou polêmica, com muitas pessoas acreditando e ficando assustados. No entanto, alguns internautas achavam graça e ainda faziam piada com a possibilidade desse tipo de fenômeno acontecer realmente. Alguns até batizaram o furacão como Dirma, fazendo uma menção à ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff.