Atualmente no espaço urbano temos notado um aumento significativo no número de gatos. Devido a vida turbulenta, entre trabalho e eventos sociais, os Gatos passaram a ser o animal mais conveniente para espaços pequenos, por serem mais independentes.

Várias são as razões por se optar por esse animal de estimação:

  • Sua grande interação com o proprietário e ao mesmo tempo muita independência.
  • Não precisa ser adestrado para que façam suas necessidades no local desejado.
  • Ficam sozinhos e não se incomodam com isso.
  • Se adaptam bem aos pequenos espaços.
  • São muito fáceis de se transportar.
  • Geralmente não incomodam os vizinhos.

Mas a grande questão é: será que os seres humanos conhecem realmente o Comportamento desses animais, para lhe garantir bem estar?

As principais causas de abandono de gatos são: micção e/ou defecação em local inadequado, problemas de convivência com animais da casa, agressividade e comportamentos destruidores, sendo que muitos destes animais são submetidos à eutanásia.

Mas será que isso é mesmo necessário?

Obter um animal de estimação requer paciência, amor e acima de tudo entendimento de sua espécie.

Uma das grandes perguntas que as pessoas se fazem antes de obter um gatinho é: Quantos gatos eu posso ter?

Em se tratando de um animal independente e solitário, que muitas vezes só se juntava aos da mesma espécie para fins reprodutivos, o ideal seria termos somente um. Mas isso não é regra, comportamento e medicina não são uma operação aritmética. Cada relação entre seres vivos é única.

Porém existem regras importantes a serem ditas. Como todo grupo, existe uma hierarquia e esta deve ser respeitada. Uma das formas mais clássicas de se reconhecer o líder é este não cobrindo suas fezes e urina com a areia. Aí surge aquele problema do abandono... os gatos submissos passam a fazer suas necessidades em locais indesejados pelo proprietário, em respeito ao líder.

Ou pior, passam a reter suas necessidades, causando fecaloma (fezes endurecidas no intestino), ou infecções urinárias e problemas renais. Resumindo então: para cada gato o ideal são 1 caixa e meia de areia, sendo assim, 2 gatos: três caixas.

Outra regrinha importante é o enriquecimento ambiental

  • Caixas de areia em local sossegado e acessível, com limpeza diária. A limpeza total deve ser realizada uma vez por semana.
  • Alimentação e água: o número de comedouros e bebedouros deve ser relativo ao número de gatos da casa. Os alimentos úmidos devem ser servidos para o aumento da ingestão de água.
  • Ambiente físico: É importante que na casa haja esconderijos para um local de descanso, sendo dos outros gatos ou dos seres humanos. Normalmente eles se sentem mais confortáveis em áreas altas, dando uma sensação de segurança. Neste local pode ser colocado uma simples caixa de papelão para que ele se sinta mais à vontade.
  • Brincadeiras: Os proprietários podem se utilizar de jogos que permita que o bichano manifeste seu instinto predatório. Existem também diversos 'brinquedos' arranhadores, assim evitando ou diminuindo o comportamento destruidor.