Se você achou que aquelas criaturinhas fofas e amáveis que conhecemos são concebidas e nasciam de forma natural e em datas e épocas aleatórias, está enganado definitivamente. Sim, existe uma forma de saber em quais meses nascem mais Bebês e, consequentemente, em quais eles foram concebidos. Se você não está preparado para ter um serzinho correndo pela casa, evite correr o risco em algumas épocas especificas.

A população brasileira vem aumentando a cada dia que se passa. As crianças chegam trazendo alegria e esperança, além de muito amor para as famílias, mas você sabe quais os meses em que mais nascem bebês no Brasil e no mundo? No Brasil, nascem 5,36 bebês por minuto, 321 por hora ou um bebê a cada 11,2 segundo.

Como se percebe, não para de crescer.

Existe um mito entre os jovens que sugere épocas como o Carnaval como sendo um dos momentos em que as pessoas mais trocam de parceiros e se divertem, apesar de existirem várias campanhas em mídias como televisão e rádio a favor da proteção e cuidado nessa época do ano, ainda se nota grande negligência por parte dos foliões.

Os bebês no Brasil nascem principalmente nos meses de abril e novembro. Apesar de não ser científico, há uma certa lógica em dizer que o mito do Carnaval realmente faz sentido, além do inverno, que se nota também ser propício, segundo levantamentos.

Levando em consideração o cenário mundial, pode-se dizer que na Europa o mês em que mais nascem crianças é em setembro e o que menos nasce é em dezembro. Será que também tem algo a ver com alguma data comemorativa ou feriado Europeu?

Um pais como o Japão tem um índice de Nascimento muito pequeno.

Os melhores vídeos do dia

O governo japonês atribui esse fato a baixa fertilidade feminina. A média de filho por família é de 1,39. Em 2012, nasceram 18 mil bebês a menos no país em relação a 2011, e a propensão e só diminuir cada vez mais, pois cada vez mais aumenta o número de japonesas entre 20 e 30 anos que decidem se dedicar mais a carreira profissional e adiando a maternidade.

Em 2015, o governo japonês notou uma redução bastante significativa, pois a taxa de natalidade já se encontrava a baixo da taxa mortalidade, o que em algum tempo levará a diminuição significativa da população. Em 2016, o número de recém-nascidos no Japão ficou abaixo de um milhão, o que ocorreu pela primeira vez desde 1899.

Mas não se preocupem. Em caso de emergência populacional, os brasileiros não hesitará em emprestar o famoso Carnaval aos amigos japoneses, não é mesmo?