Um vídeo publicado no YouTube no inicio do ano de 2013 teve grande repercussão entre as pessoas. O que aconteceu recentemente foi que o vídeo voltou a chamar atenção dos internautas. Esse vídeo de pouco mais de 1 minuto de duração mostra uma Mulher que se fotografou durante um ano, uma fotografia por dia, retratando os efeitos da violência doméstica que estava sofrendo, segunda o site Família.

Ao ver o vídeo, é possível perceber certa variação de momentos. Algumas fotos mostram a mulher com boa aparência e aparentemente bem, outros já mostram expressões que demonstram medo e apreensão. Entre as fotos, estão aquelas que denunciam os dias em que foi extremamente violentada por o seu companheiro.

Logo depois vem a melhora dos ferimentos e novamente as agressões continuam e ela já sinaliza certo esgotamento. Na última fotografia do vídeo, a vítima aparece segurando um pequeno cartaz com a seguinte mensagem: “Pomozite mi ne zman da li ću dočekati sutra”, na tradução para o português fica "Ajuda-me, eu não sei se posso esperar até amanhã". Confira no vídeo abaixo:

Lei Maria da Penha

No Brasil existe legislação para esses casos de violência. A Lei Maria da Penha, que tem esse nome porque faz uma homenagem a uma mulher chamada Maria da Penha Maia Fernandes, que conviveu com as agressões do seu esposo, Marco Antonio Heredia Viveros. Ele tentou matá-la Penha duas vezes e chegou a deixá-la paraplégica.

Mesmo na sua situação, Maria não deixou de lutar para que seu marido fosse condenado, mas não teve sucesso.

Ele não foi condenado. Mais tarde o caso chegou À Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos.

O Brasil logo foi obrigado a dar maior atenção ao caso e, em 2006, a Lei Maria da Penha foi aprovada pelo Congresso Nacional. Essa lei é considera a 3ª melhor lei contra a violência doméstica [VIDEO] do mundo, de acordo com a ONU.

Realidade...

A violência doméstica ainda é uma realidade muito presente no Brasil e também fora dele. Apesar das leis que punem o agressor e amparam as agredidas, situações como a relatada acima ainda continuam acontecendo.

Apesar dessas leis e do amparo, muitas mulheres ainda optam por não denunciar, muitas vezes por medo, por achar que a Justiça pode não ajudar, quando é totalmente dependente [VIDEO]e vários outros motivos que são vistos por elas, vítimas, como empecilho para deixar que os agentes da lei fiquem à frente do caso.

Ao sofrer essa ou qualquer tipo de violência é de grande importância comunicar a delegacia mais próxima ou ligar para o 180, no caso da violência doméstica.