Há uma canção na Grécia, cujo título é “Mavri Mera”, que traduzido em português significa “Dia Negro”, se referindo aos períodos conturbados e tristes desse pequeno país e do seu povo ao longo da sua história milenar, ou podendo ainda refletir o espírito sentimental ao extremo do povo grego.

A Grécia foi alvo de invasões de inúmeros outras nações, sendo que os períodos mais obscuros se desenrolaram ao longo dos 400 anos do domínio turco na Grécia e a ocupação pela Alemanha Nazista de Hitler durante a 2ª Guerra Mundial, enlutando o país helênico com o sacrifício dos seus filhos no altar da guerra e da beligerância humana.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Relacionamento

Vilarejo de Drakeia, Grécia

E por falar em dias difíceis, há no meio da estrada dos pequenos municípios gregos de Agriá e Hánia, um pequeno vilarejo no ponto mais alto da região de Pelion chamado Drakeia, o qual fica escondido atrás de encostas íngremes e verdes, mergulhado em uma tranquilidade que chega a incomodar os seus visitantes acostumados ao burburinho das grandes cidades.

Drakeia, que é cortada por riachos de águas cristalinas com muitos arvoredos a sua volta, é certamente a única aldeia das 24 existentes em Pelion, que é a menos conhecida pelos turistas. Por outro lado, a pequena distância de 17 quilômetros que separa Drakeia da mais cosmopolita cidade de Volos faz com que a primeira cidadezinha se torne um excelente destino de visitação.

Drakeia atualmente

Matança em Drakeia

Entretanto, para quem não sabe, Drakeia nem sempre foi esse paraíso envolto em um ambiente de paz e calmaria, assim como muitos outros em toda a Grécia com os seus moradores octagenários, mas foram esses mesmos anciãos que existem por lá, os quais sabem como ninguém ou até mesmo foram testemunhas oculares de Drakeia ter sido um dia uma aldeia martirizada pelas tropas nazistas alemãs sob o comando de Hitler, quando esse deu ordens para ocupação da Grécia.

Mais especificamente em 18 de dezembro de 1943 a população masculina da aldeia foi executada pelo exército alemão de ocupação, sendo construído posteriormente um monumento no mesmo local em que foram executados 116 homens, isto é, em uma praça na parte baixa da vila ao lado de uma árvore.

Há ainda os resquícios de dor nas faces dos amigáveis residentes de Drakeia, que ao mesmo tempo se sentem orgulhosos de sua vila e de seus conterrâneos.

Drakeia um pedaço do paraíso atualmente

Um pouco acima de Drakeia existe a estrada para Hánia atravessando uma floresta de castanheiros, faias, samambaias e outras árvores. Todo o cuidado é pouco para se percorrer a via repleta de curvas perigosas, mas onde os que por ali passam são agraciados pelos aromas envolventes da vegetação local.

O tempo de duração da viagem de Volos a Drakia é de aproximadamente 40 a 45 minutos, facilitando a vida dos passageiros dos navios de cruzeiro que usualmente têm menos de 12 horas para explorar a cidade de Volos e Pelion.

A rota se for feita por táxi custa aproximadamente de 34 a 40 euros; porém, há uma linha de ônibus que liga Volos ao vilarejo nas montanhas de Drakeia.

Enfim, um passeio vagaroso por entre os caminhos revestidos por paralelepípedos da aldeia, ou uma visita ao monumento dos habitantes locais mortos pelas tropas nazistas alemãs ou uma simples ida as tabernas locais para se saborear uma autêntica refeição grega fazem com que a atmosfera de Drakeia permaneça praticamente intocada pela civilização moderna.

Em outras palavras, a Grécia é realmente o quintal escolhido pelos deuses do Olimpo para fixar moradia na Terra. [VIDEO]