Algumas pesquisas online estão sugerindo que os casais sentem um maior desejo durante a época natalina. Em tempos de celebrações, parece que as pessoas arrumam mais tempo para ficarem mais íntimas, o que se verifica nas taxas de natalidade cerca de nove meses depois. As principais festas religiosas parecem provocar uma onda de desejo [VIDEO] em todo o mundo, com um boom no interesse um pelo outro, no momento, e que provoca um pico no número de bebês nascidos nove meses depois.

Durante anos muito se falou, que existem muitos nascimentos no mês de setembro. No entanto, pela primeira vez, a revista Scientific Reports traz à luz algumas pesquisas que analisam precisamente esse fenômeno do aumento dos nascimentos em setembro, nos países cristãos.

Precisamente, nove meses após o Natal, existem mais nascimentos.

Questão cultural

Os cientistas tentaram colocar alguma ciência nesse estudo, colocando em jogo a hipótese de esse aumento ter a ver com a mudança das estações e por estar um clima mais frio no Hemisfério Norte. Porém, com o tempo, eles foram antes fazendo uma associação mais cultural, até porque o mesmo acontece por todo o mundo. Ainda mais, eles descobriram que o pico dos nascimentos de setembro é aparentemente nos países cristãos do Hemisfério Sul, onde o Natal coincide com o verão, o que derrubaria por terra a hipótese de estar mais frio.

Por esse motivo, Luís Rocha, professor da Faculdade de Informática, Computação e Engenharia de Indiana (EUA), percebeu que a questão nada tinha a ver com o clima que fazia, mas antes com a cultura de cada país.

No mesmo sentido, eles perceberam que nos países da maioria muçulmana também houve um aumento nas taxas de natalidade nove meses após a celebração do Eid-Al-Fitr, que marca o fim do período de jejum do Ramadã, e que cai em diferentes momentos a cada ano.

Maior sentimento nas festas

Os pesquisadores estiveram ainda procurando entender os sentimentos e as sensações vividas pelas pessoas durante o período festivo. Eles analisaram sete países, durante a data festiva: Brasil, Argentina, Austrália, Estados Unidos, Chile, Indonésia e Turquia, através de mensagens do Twitter e de pesquisas no Google. No final, eles concluíram que, além de as pessoas se interessarem mais por relações íntimas, elas também estavam mais felizes nesses momentos.

"Esses eventos (Natal) podem desencadear estados de espírito específicos e coletivos, levando a uma correspondência notável entre essa festa e um maior desejo íntimo", explicou o relatório final. Eles procuraram ainda pesquisar outros feriados, como a Páscoa e o Dia de Ação de Graças, mas não obtiveram os mesmos resultados.

Como resultado final, os cientistas falam que tudo converge para uma explicação cultural, e que as pessoas sentem uma maior intimidade [VIDEO] em torno de feriados religiosos mais familiares, e que muitas vezes coincidem com um período de férias, o que também melhora o humor das pessoas.