O suicídio de pastores evangélicos abalou o mundo gospel no ano de 2017 deixando a comunidade estarrecida diante de mortes tão absurdas e sem explicação aparente. Ninguém consegue explicar o que levou pessoas dedicadas a levar a palavra de Deus a quem esteja necessitando de conforto a cometerem tal ato. Os três casos que mais repercutiram na mídia ultimamente foram dos pastores Júlio Cesar, Ricardo Moisés e Lucimari Alves Barro. As causas dos atos tresloucados ainda não ficaram bem esclarecidos, porém familiares e amigos admitem que a depressão seria o fator principal.

Publicidade
Publicidade

Pastores suicidas

Pastor Moisés Ricardo

O evangélico ministrava na Assembleia de Deus da cidade de Procópio Cornélio, no Paraná, e morava com a esposa e filhos numa casa atrás da igreja. Aos 28 anos o pastor não demonstrava estar com maiores problemas e, segundo a esposa, tudo parecia bem. Ela o encontrou enforcado dentro de sua própria casa. O SAMU ainda foi chamado, mas o rapaz já estava em óbito.

Pastor Júlio Cesar

Um dos mais queridos pastores da sua comunidade, ministrava a palavra na Assembléia de Deus em Araruama, no Rio de Janeiro.

Causa das mortes pode ter sido depressão
Causa das mortes pode ter sido depressão

Sua morte, também por enforcamento, chocou grande parte dos fiéis e as informações são que o evangélico estava passando por momentos depressivos, o que o levou a dar cabo da própria vida na varanda de sua casa.

Pastora Lucimari Alves Barro

A única mulher do trio de suicidas, a pastora ministrava na igreja do Evangelho Quadrangular na cidade de Criciúma, Santa Catarina. Lucimari era casada com o pastor Sandro Barro e tinham um filho. Segundo ele não havia motivos para desconfiar que a esposa cometeria tal ato.

Publicidade

Amigos relatam que no dia de Natal a pastora postou em suas redes sociais o clipe da Música "Liberdade", da cantora Gospel Piscilla Alcântara, essa poderia ser uma pista do que pretendia fazer. O marido fez uma homenagem à pastora em seu Facebook e aproveitou para pedir desculpas em seu nome.

O mais impressionante dessas tragédias é que todas foram cometidas na mesma modalidade, enforcamento, intrigando mais ainda a comunidade evangélica, pois quem se preparou durante anos e tem intimidade com a palavra de Deus sabe perfeitamente que a Bíblia condena quem tira sua própria vida e terá que prestar contas diante do tribunal de Deus.

É improvável que uma pessoa ligada a sua fé e voltada para os ensinamentos da palavra possa cometer tal atrocidade. Somente a Deus é dado esse poder, só ele dá a vida, só ele tira a vida.

Leia tudo e assista ao vídeo