Márcia Cabrita morreu no dia 10 de dezembro de 2017, mas constantemente é lembrada. Isso porque uma carta escrita por ela em 2011 - e revelada 24h após sua morte - seguidamente repercute nas redes sociais. A atriz faleceu com apenas 53 anos de idade, vítima de câncer no ovário. A artista lutava contra esse tumor desde o ano de 2010. Durante o tratamento, Marcia decidiu se afastar do papel de Narcisa, que estava interpretando na novel "Novo mundo", da Rede Globo.

Na carta deixada por Marcia, várias questões que antecederam sua morte foram abordadas, como seu estado de saúde e como as pessoas agiam diante do cenário. A atriz começou a carta declarando que estava gravemente doente, e que apesar do que várias pessoas imaginavam, ela não vinha conseguindo levar essa fase da melhor maneira.

A artista comentou também que os seres humanos criam a ideia de que uma pessoa com câncer precisa parecer herói. Revela para todos os possíveis leitores que o indivíduo que recebe a notícia sobre o câncer não consegue ter pensamentos bons a respeito.

Márcia Martins Alves ou Marcia Cabrita continua seu relato e desabafa ao escrever que a constante insistência de positividade não é a melhor opção, e acabou se tornando um problema. Ela declarou ainda que se olhava no espelho e examinava sua aparência: os cabelos curtos, o corpo magro, a pele branca. Logo em seguida afirma que não tinha chance de sobreviver à cirurgia, pois, para sobreviver, era necessário ser uma pessoa que acreditava na sobrevivência. Marcia, na sua carta, ainda diz que deixou de comprar coisas para si porque já imaginava que todo o seu patrimônio já era da sua filha.

Depois [VIDEO] de tratar sobre o seu estado, ela faz uma breve reflexão [VIDEO] sobre como está o mundo e as pessoas. Ela diz que nesse mundo moderno não há sofrimento, tudo é maravilhoso. Declara que separações nunca geram angústia, são sempre situações amigáveis. Diz ainda que as mulheres quando têm filhos, logo ficam em forma novamente e os atores nunca ficam desempregados. "É um novo mundo", definiu ela.

Voltando mais uma vez a sua situação, Márcia tenta encontrar conforto, e diz que precisava viver esse luto, deixar claro que teve medo, mas foi confiante enquanto conseguiu. Na carta, ela declara mais uma vez que não deixou de lado seus menores sofrimentos e elenca que sofreu quando o cabelo estava caindo, assim como as sobrancelhas, os cílios, mas também sofreu por causa das injeções, enjoos e tudo o que envolvia sua situação como enferma.

Diante de tudo, ela declara: "A mulher maravilha mora na televisão. A atriz não deixa de pontuar que muitas pessoas boas e bacanas morrem e não é justo". Nas linhas finais, ela diz que está em remissão, e gosta de relembrar uma foto especial onde estava com um sorriso sincero de felicidade estampado no rosto.