Um novo documentário sobre um dos assassinos em série mais violentos do mundo está revelando muito mais sobre os terríveis assassinatos e conta ainda com uma filmagem de sua confissão na prisão. É a história real e chocante de Robert Pickton, um fazendeiro de porcos do Canadá, que matou 49 mulheres em sua propriedade, e vendeu seus restos para clientes. Os detalhes revelados são ainda mais chocantes, quando se sabe que ele picou essa carne, que chegou a vender para policiais, antes de ser preso em fevereiro de 2002. Agora, ele continua detido atrás das grades.

Falhou seu objetivo

O documentário foi emitido na CBS, do Reino Unido, e analisou os assassinatos e as filmagens de Pickton, em que ele confessava tudo em sua cela.

As filmagens na cadeia foram capturadas, sem que ele percebesse que estava falando com um policial, e foi aí que ele se descuidou. Após ter matado 49 pessoas, ele admitiu em sua cela que seu plano era o de matar 50, para fazer o número redondo. Ele revelou ainda que se sentia um pouco incomodado por ter falhado seu objetivo somente por uma.

Foi quando estava detido preventivamente, ainda em 2002, que ele foi colocado em uma cela com um policial disfarçado. Aí, ele revelou tudo sobre os assassinatos, desconhecendo que seu companheiro de cela era um oficial da Polícia e que estavam sendo filmados. Furioso por ter sido apanhado, ele lamentava a seu 'colega' ter sido "descuidado" e que por essa razão não conseguiu completar seu plano: "Eu só queria fazer mais uma, para fazer o grande 5-0".

Revelou o que fez com os restos mortais

No documentário, especialistas criminais analisam sua confissão sinistra e sem remorsos.

Quando o policial, sugeriu que a melhor forma para se livrar de um corpo era jogar no mar, Pickton interrompeu, dizendo: "Eu fiz melhor que isso". Foi aí que ele explicou que ele levou os corpos para uma fábrica onde picava a carne. Depois, embalou-a e vendeu para os clientes locais de sua fazenda. Ele também alimentou seus porcos com algumas de suas vítimas.

Pickton foi preso em 2002 depois que a polícia encontrou itens que pertenciam a algumas das mulheres desaparecidas, em sua fazenda. Eles foram à propriedade por acaso para procurar por armas ilegais que eles acreditavam que poderiam ser dele. Depois de prendê-lo, eles descobriram vestígios de DNA que correspondiam a 26 mulheres desaparecidas, muitas das quais eram prostitutas que ele havia pegado em Vancouver, e as havia levado para sua propriedade, com o objetivo de ter relações com elas [VIDEO], e depois as matar.

Suas técnicas de matança teriam variado, supostamente. Em alguns casos, ele injetou as mulheres com anticongelante, dizendo-lhes que eram drogas. Em outros casos, ele as esfaqueou até a morte. Os crimes ocorreram, supostamente, entre 1991 e 2002, e se acredita que ele teria matado 49 mulheres.