Entender um crime não é nada fácil. [VIDEO] Algumas ações criminosas chamam a atenção pela maneira como acontecem. Seguir em frente não é nada fácil quando se é vítima, por exemplo, de um crime que acontece em sua própria casa. Alguns casos de violência, por exemplo, podem assustar pela maneira como ocorrem. Recentemente, uma vítima de estupro acabou tendo sua história de horror conhecida pelo mundo. [VIDEO]

Aos 23 anos, Abadia Hessing decidiu contar como eram os abusos sexuais que sofria em sua própria casa. Os atos libidinosos contra a jovem eram cometidos pelo seu pai e tiveram início quando ela era praticamente uma bebê.

O primeiro estupro teria ocorrido quando Abadia tinha apenas três anos de idade.

Jovem relata detalhes sobre os milhares de estupros que o próprio pai cometeu contra ela

A menina demorou a entender o que acontecia com ela mesma. Superar isso não foi fácil. Inicialmente, a ação criminosa acontecia porque o pai teria se separado da mãe e, por isso, Abadia sentia-se culpada. No entanto, conforme foi crescendo, a jovem acabou acumulando outros problemas em sua vida. Os abusos não pararam e ela entendeu que o pai estava errado.

O homem foi identificado como Mark Hessing. Ele está agora com 57 anos de idade. Sempre que o homem realizava os atos, ele pedia desculpas para a menina e dizia que ela era muito "bonita", talvez tentando justificar o seu enorme descontrole em torno dos atos que cometia com a garota.

Pai pedia desculpas à filha após realizar estupros contra a menina

Os abusos ficaram mais intensos conforme a garota ia ficando maior. No entanto, a sua maturidade também foi aumentando. A imagem do horror foi descrita pela jovem em entrevistas. Ela diz que o intuito foi evitar que outras meninas, assim como o que aconteceu com ela, também sofressem abusos desse tipo. A situação deu o que falar e entender como as coisas aconteceram não foi fácil. Outras meninas também passaram pelo mesmo.

Homem que abusou de filha cinco mil vezes é condenado a 8 anos de prisão, nos EUA

Em 2015, após denunciar o pai, ele foi a julgamento. A justiça condenou o homem por treze crimes contra a jovem. No entanto, a condenação do estuprador foi até pequena, apenas quatro anos de detenção. Ainda assim, ele decidiu recorrer à decisão, mas a Justiça dos Estados Unidos acabou dobrando a sua pena, chegando a oito anos de prisão.

No Brasil, caso você conheça alguma criança vítima de violência doméstica, trabalho infantil ou abuso sexual, basta ligar para o 180. A ligação é gratuita.