Alguns casos de violência sexual são realmente assustadores. Abadia Hessing, de 23 anos, por exemplo, virou um ícone da luta mundial conta os abusos sexuais que são cometidos em casa. Ela começou a ser estuprada pelo próprio pai quando tinha apenas 3 anos de idade. Ao longo da vida, de acordo com Abadia, os abusos aconteceram mais de cinco mil vezes. Ela demorou a denunciar o abuso por muitos motivos.

O seu pai, Mark Hessing, de 57 anos, sempre se desculpava após estuprar e a chamava de "filha bonita".

Publicidade

Conforme ela foi crescendo, a jovem teve certeza que o que o seu pai fazia com ela não demonstrava nem um pouco um gesto de amor, mas, sim, de maldade. A imagem do horror detalhada por ela a sites jornalísticos de todo o mundo é realmente assustadora.

Jovem é abusada sexualmente milhares de vezes pelo próprio pai: 'Dizia que me amava muito'

Era bem comum, por exemplo, que o pai da jovem, que foi condenado em 2015 pelo crime, dissesse que amava muito Abadia. Ao todo, ele cometeu 13 crimes diferentes contra a própria filha, que teve que lutar com esse peso do passado.

Mark foi condenado a quatro anos de prisão, mas achou muito pelo o que havia cometido.

Ele recorreu e a situação piorou, pegando oito anos de detenção. Para muita gente, o crime que aconteceu nos Estados Unidos teve até uma pena leve, especialmente a se considerar as penas locais. A vítima agora tenta recomeçar a vida, mas, é claro, é muito difícil conviver sem lembrar do passado.

Estuprada por pai, jovem cresce disseminando o amor e cuidando de outras vítimas de abuso

Hoje Abadia não esquece o passado e tenta fazer do limão ácido que ganhou da vida um belo suco.

Publicidade

Por isso, a vítima do pai trabalha ajudando outras pessoas que sofreram crimes parecidos. Ela lembra que os abusos do pai começaram quando ele se separou de sua mãe, Karem. Ao poucos, a menina acabou tomando o papel de esposa da mãe, que a essa altura não sabia dos abusos cometidos.

"Papai costumava me levar para o quarto dele. Ele me colocou na cama e subia em cima de mim. Ele me tocou e me fez tocar nele também”, revelou a jovem, que não sabia que o que acontecia em sua casa era um crime. Ao passar do tempo, ela percebeu o quanto grave era aquilo tudo.

Denuncie

O que você faria caso soubesse de um abuso do tipo? Fique sabendo que no Brasil existe um telefone que pode ajudar as vítimas desse crime. O 180 é destinado às denúncias contra crimes envolvendo crianças, especialmente a exploração sexual. Não acoberte esse terror. Denuncie.