Existe um exercício pélvico que está sendo muito usado pelas mulheres no tratamento de infeções urinárias. Porém, recentemente, esse mesmo exercício está sendo cada vez mais usado também pelos homens, mas por outros motivos. Supostamente, isso se aplica nos casos de disfunção erétil [VIDEO], mas também em casos mais simples, em que é utilizado simplesmente para prolongar a ereção e melhorar o momento na cama.

Os exercícios do assoalho pélvico podem, então, ajudar os homens para alcançarem uma ereção mais longa e mais forte e ainda para curar a disfunção erétil. De acordo com um novo estudo publicado no Journal of Urology, 70% dos homens acabam vivendo a disfunção em algum momento de sua vida, condição também conhecida como impotência, mas fazer esse treino simples pode ajudar a se prevenir.

Exercitar as partes baixas

Explicando o conceito, é como exercitar qualquer parte do corpo para manter os músculos em forma. Nesse caso não é diferente, sendo importante manter músculos mais embaixo também em forma. Os assoalhos pélvicos são uma elaborada rede de músculos que cercam a base do órgão reprodutor masculino, criando uma base para o intestino e a bexiga e podem ser localizados entre o abdômen e as partes baixas.

Esses músculos tendem a enfraquecer com a idade e podem levar a vários problemas na saúde íntima masculina. Porém, um novo estudo relatado no Journal of Urology descobriu que o fortalecimento do assoalho pélvico de um homem pode ajudar a diminuir a disfunção erétil e a ejaculação precoce. Já em um estudo anterior, realizado em 2005, foi revelado que 75% dos homens melhoraram sua função erétil depois de fazerem esse exercício.

Por isso, mesmo nos casos em que o homem não sente qualquer problema disfuncional, isso pode ajudar e melhorar sua atividade íntima. [VIDEO]

Como são os exercícios

O exercício consiste em apertar os músculos do assoalho pélvico, como quem está travando a saída do xixi. Depois, é manter essa contração por 3segundos. Em seguida, relaxar igualmente por 3 segundos. Esta repetição deve ser realizada por 30 vezes seguidas. Esse mesmo exercício, que ganhou o nome do seu criador, Kegel, é muito recomendado também no tratamento de infeção urinária e pode ser realizado quando a pessoa está sentada, parada ou então caminhando.

Os exercícios devem ser realizados 3 a 4 vezes por semana, seja no tratamento urinário ou de disfunção. A médica Sandra Hilton, especialista do Entropy Physiotherapy and Wellnessin, em Chicago, Illinois (EUA), está trabalhando na área da saúde masculina e disfunção desde 1986 e não tem dúvida que o exercício melhora a qualidade das relações íntimas, tornando tudo mais divertido.