Um detento morreu após passar mal no Presídio Jacy de Assis, em Uberlândia, no estado de Minas Gerais. O fato foi registrado no dia 9 de janeiro deste ano.

Segundo informações, um detento [VIDEO] disse para os colegas de cela que não estava se sentindo muito bem. Ele chegou a chamar um dos agentes penitenciários e disse que estava passando mal. Na manhã do dia, ele acabou tendo algumas complicações e desmaiou na cela.

Os agentes penitenciário foram acionados pelos presos que estavam dividindo a cela com o homem. Quando eles chegaram, viram o detento no chão. Em seguida, os agentes da penitenciário pediram um auxílio para um médico que trabalha no presídio.

Ele percebeu que o presidiário ainda estava respirando e resolveram acionar o Corpo de Bombeiros de Uberlândia.

Quando os bombeiros chegaram á cela, o presidiário [VIDEO] já estava morto. Por meio de nota, a corporação divulgou que o homem estava sem os sinais vitais e possuía um ferimento no nariz, que é causado quando a pessoa sofre uma parada cardíaca. Uma ambulância do Instituto Médico legal (IML) foi ao local e retirou o corpo do presidiário, que não teve a identidade revelada, mas aparentava ter por volta de 37 anos.

Situações dos presidiários

Atualmente, o país tem mais de 100 penitenciárias, aonde a maioria se encontra com superlotação. Além disso, os detentos têm que convier com as doenças transmissíveis e com a falta de itens básicos, como papel higiênico, sabonete e pasta de dente.

Isso pode ser o reflexo da falta de investimento do Estado nas penitenciárias brasileiras.

Além disso, outro grave problema é o tratamento que os agentes penitenciários adotam com os familiares dos presos. ''Quando eu vou visitar o meu primo, tenho que passar por uma inspeção. Eu tenho que ficar nua e realizar alguns posições, para eles identificarem se eu estou levando algum objeto ilegal. Para uma mulher, isso é humilhante'', disse o prima de um detento no Presídio de Pedrinhas, no interior do Maranhão.

Sobre essas acusações, todas as penitenciárias são obrigadas a realizarem esse procedimento, pois alguns familiares entram na penitenciária com celulares e armas brancas.

Penitenciária no Brasil

Um estudo realizado em 2015 mostrou que o Brasil tem a 4ª maior população carcerária do mundo. Isso pode ser o reflexo de oportunidades que o país não oferece. Diante disso, muitas pessoas optam ir para o mundo do crime para levar o sustento para suas famílias.