Um homem suspeito de estupro acabou sendo morto. O caso foi registrado no dia primeiro deste ano, no mês de janeiro, no interior de Minas Gerais.

Segundo algumas informações, um elemento acabou sendo morto dentro de casa. Alguns moradores que residem próximo à habitação da vítima ouviram os disparos dos tiros e acionaram a Central da Polícia [VIDEO] Militar, relatando o que estava acontecendo na região. Diante disso, a Central repassou essas informações para algumas guarnições da Polícia Militar que estavam próximas da localidade.

Quando os militares chegaram à residência avistaram um homem morto, identificado como Roberto Carlos Alves de Almeida.

Em seguida, os policiais militares pediram o apoio da Polícia [VIDEO] Civil no local.

Os policias [VIDEO] civis cercaram a cena do crime e fizeram algumas perícias. Em seguida, o corpo acabou sendo encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), para que os Técnicos de Necrópsia pudessem realizar os precedimentos cabíveis.

O laudo da causa da morte apontou que a vítima morreu após ser baleado na cabeça, braço e perna. O delegado que também estava na cena do crime coletou alguns depoimentos de moradores da região, com o intuito saber como era a rotina de Roberto. Alguns moradores disseram que o elemento estava foragido havia mais de duas semanas, após ter abusado sexualmente da sua própria filha e de uma enteada. As duas meninas tinham a idade de 15 e 16 anos, respectivamente.

A polícia tentou buscar câmeras de monitoramento na região, na tentativa de localizar os possíveis envolvidos no caso.

Até o fechamento dessa matéria, ninguém foi localizado.

A Delegacia de Homicídios, que está investigando o caso, aponta que o elemento pode ter sido morto após cometer os crimes de estupro, mas nada foi confirmado. Roberto foi morto no mesmo dia que completava 50 anos de idade.

O delegado pede a colaboração de todos os moradores da região, para informar o paradeiro dos possíveis autores dos disparos. Ele disse que o sigilo será absoluto, e ninguém irá sofrer represálias.

Violência na localidade

Nos últimos meses, os moradores têm reclamado do aumento da violência. Isso pode ser o reflexo da falta de investimento na segurança pública. O estado pretende realizar um novo concurso da Polícia Militar, na tentativa de amenizar os crimes.

Um porta-voz da PM se posicionou, por meio de nota, afirmando que tentará disponibilizar uma viatura para fazer um patrulhamento próximo ao local.