No dia 1º de maio se comemora mais um dia do trabalho. Em mais de 80 países essa data faz parte do calendário oficial, em vários países é decretado feriado nacional, dentre eles, Portugal, Moçambique e Angola, além do Brasil. O dia é comemorado com muita festa, mas também é dia de descanso e reflexão.

No Brasil, as grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, dentre outras se mobilizam para promover a festividade. Grandes palcos são montados em parques ou grandes avenidas para apresentação de artistas consagrados que arrastam multidões para o local.

Além da comemoração, a data é marcada também por muito protesto, haja vista, a questão trabalhista ser tema de grande discussão, tamanha sua complexidade e relevância social.

Ademais, por se tratar de uma relação entre dois polos distintos [VIDEO], quais sejam, de um lado, o empregador, dono do capital e do equipamento; do outro, o empregado, dono da mão de obra, cada qual busca tirar maiores benefícios em detrimento do outro, urge a necessidade de ampla discussão.

A greve geral do 1º de maio e a luta dos trabalhadores por melhorias para a classe

E a data de primeiro de maio foi consagrada como o dia internacional do trabalho, justamente pelo grande ato de protesto, cominado com uma greve geral ocorrido nessa data do ano de 1886, em Chicago, nos Estados Unidos, quando mais de um milhão de trabalhadores saíram às ruas para protestar contra a alta carga horária de trabalho, vez que, à época, grande parte desses trabalhadores cumpriam uma carga horária diária de 14 horas.

O ato durou quatro dias. No dia 3, houve um grande tumulto entre a multidão e a policia que resultou na morte de 3 manifestantes. Após as mortes houve grande dispersão por parte dos trabalhadores, mas no dia seguinte eles voltaram às ruas e novamente houve confusão. Dessa vez, uma bomba foi lançada em direção aos policiais que em revide, passaram a metralhar a multidão.

O confronto resultou na morte de quatro civis e sete policiais, além de mais de duzentos feridos. Três sindicalistas foram condenados à prisão perpétua e cinco à pena de morte [VIDEO]. O episódio ficou conhecido como "revolta de Haymarket".

Na data de 20 de junho de 1889, em congresso realizado pela internacional socialista, em Paris, ficou decidido que a partir daquela data seria convocada anualmente uma Manifestação com o objetivo de continuar a luta realizada em Chicago. Em homenagem aos feridos e mortos da revolta de Haymarket, foi estabelecido a data de 1º de maio para realização das manifestações.

O ato de 1º de maio de 1891, ocorrido no norte da França, terminou com a morte de dez manifestantes.

Meses depois em novo congresso, realizado em Bruxelas, na Bélgica, a internacional socialista proclamou esse dia como, o dia internacional de reivindicação de condições laborais.

No entanto, a primeira grande conquista laboral ocorreu na data de 23 de abril de 1919, vez que, o senado francês determinou a jornada de trabalho em 8 horas diárias e proclamou feriado o dia 1º de maio.

Em 1890, foi a vez do congresso estadunidense reduzir a jornada de trabalho que no país era de 16 horas, sendo reduzida para 8 horas diárias, no entanto o governo americano, até hoje, não reconhece a data de 1º de maio como o dia do trabalhador.

A cada nova comemoração pelo dia do trabalho a sociedade se une para festejar, sem no entanto, deixar de protestar por melhores condições de trabalho, sempre visando o bem-estar de todos.