A bolsa de cada mulher reflete sua personalidade, seja o interior como no exterior que transmite àquilo que ela deseja mostrar à sociedade [VIDEO]. A bolsa nasceu há centenas de anos atrás, da necessidade das pessoas de carregarem as suas coisas indispensáveis ao sair de casa, tais como: pentes, lenços, leques, livros, pedras preciosas, cigarros e outros itens.

Na idade média, homens e mulheres utilizavam este acessório que era feito de couro, e o formato era de sacos enormes até o joelho e de pochetes que eram chamados de bolsos. Mas só no século XIX que se fabricaram as bolsas de mão, um objeto um pouco menor que a mala, mas com a forma bem parecida.

Ainda no século XIX as bolsas passaram a ser um acessório exclusivamente feminino, quando a princesa Alexandra e ditadora da moda na época da França, tornou popular o uso das chantelaines. Essa moda trazia a vantagem de deixar a Mulher com as mãos livres, visto que as bolsas eram penduradas por correntes na cintura, geralmente fazendo bastante barulho. As chantelaines eram símbolo de independência e ostentação para as mulheres da época.

E, no século XX surge a tecnologia, e, com ela, uma imensidão de novos materiais e tipos de bolsas para todos os gostos. Com as viagens de trem e a invenção dos automóveis surgiram as bolsas de viagem. Já com o aumento de compromissos femininos e atividades em família também apareceram bolsas distintas para cada ocasião especial. Neste século, nasceram bolsas para praia, bolsas para eventos noturnos, bolsas com pequenos compartimentos para batom e espelhos.

Durante o dia, as mulheres utilizam bolsas minúsculas carregadas na mão, pois isso indicava que a mulher havia empregados que carregavam para elas o objeto maior ou pesados.

Com a revolução da moda na década de 20, usava-se as bolsas carteiras, combinadas sob o braço que hoje em dia são muito utilizadas para eventos mais formais. Já na década de 30 começaram a usar materiais de plástico e couros de jacaré, boi e entre outros para a fabricação destas peças apreciadas pelas mulheres.

Quando surge a Chanel

Em 1955 a Chanel, marca desejada e sonho de consumo da mulherada, lançou a 2.55, que foi uma grande revolução. A chanel foi e é uma bolsa tiracolo, pequena, de couro, charmosa e com alça de corrente que existe até hoje e custa uma pequena fortuna. Com o passar dos anos ela ganhou cores e formatos diferentes, mas as alças em correntes até hoje é o emblema da marca.

Na década de 60 em diante surgiram várias marcas, modelos e cores de bolsas, desde as tradicionais de ombro, de mão, as tiracolos e pochetes.

Neste inverno de 2018, por exemplo, nas passarelas o destaque foi bem retro com a voltas das pochetes e as bolsas minúsculas de mão que já fazem parte do look de várias mulheres, principalmente das celebridades que já desfilam com as novas tendências por aí.

Entretanto, a sua bolsa deve combinar com o seu jeito. É um produto que deve ter qualidade e normalmente é caro, então opte por algo que combine com tudo, que tenha um bom acabamento, que seja de um ótimo material e que valorize seus traços físicos. Não precisa de uma Chanel para se destacar, basta que a bolsa represente você.