Talvez você já tenha ouvido falar da Momo do WhatsApp. Uma figura medonha, com olhos esbugalhados e que tem se tornado viral dentro e fora do aplicativo de conversas.

Logo quando o desafio surgiu, parecia ser algo inofensivo entre jovens, que consistia em enviar uma mensagem para um número desconhecido para falar com a Momo e em troca, se fosse a Momo, receberiam imagens que representassem o terror. Após salvar o número desconhecido nos contatos, aparecia a foto da amedrontadora Momo.

O problema é que a brincadeira adolescente tem gerado consequências negativas, que variam de ameaças aos usuários à chantagem para obter ou não divulgar seus dados pessoais.

Embora acredite-se que a brincadeira tenha sido criada por usuários latinos e japoneses, por trás da Momo há criminosos dispostos a ganhar dinheiro com extorsões, e há até pessoas mal-intencionadas dispostas a piorar o estado emocional de jovens, os incitando ao suicídio.

Não é novidade para ninguém que na adolescência as emoções são mais intensas e se algum jovem está depressivo ou sofrendo bullying, alguém dizendo palavras de desanimo e o incentivando a se matar, será mais perigoso do que lhe dar uma arma de fogo.

Além disso, ao passar o número do celular para um desconhecido pela internet, ele pode ter acesso aos seus dados, como fotos e informações pessoais em seu celular, pois quem está por trás de crimes cibernéticos desse tipo não são usuários comuns, mas pessoas com algum conhecimento sobre programação e invasão de dispositivos.

Polícia espanhola faz orientação

A Polícia espanhola orientou que os jovens não entrem nessa brincadeira e em nenhum outro desafio do WhatsApp. A BBC Brasil procurou a polícia federal brasileira para saber se há alguma investigação de fraude, roubo de dados e extorsão proveniente do desafio da Momo, mas não responderam aos questionamentos. O G1 apurou que em Santa Catarina, cinco adolescentes foram ameaçadas por um suposto perfil Momo, que exigia que elas enviassem fotos nuas pelos WhatsApp.

Autoridades de diferentes países orientam que os pais conversem com os filhos [VIDEO] e peçam que eles jamais deem informações pessoais [VIDEO] para estranhos na internet. Rodrigo Nejm, da ONG Safernet, aconselha que se alguém decidir conversar com “a Momo” e lhe for solicitado que envie uma foto ou responda a alguma pergunta pessoal, que encerre a conversa e leve a conversa para uma autoridade, pois é possível rastrear quem está por trás do perfil falso.

Caso algum pai ou jovem precise de uma orientação, inclusive com a ajuda de um psicólogo, pode acessar ao site canaldeajuda.org.br e se consultar de forma anônima.

O site pertence a ONG Safernet e orienta, inclusive, como agir quando se a vítima de roubo de dados, vazamentos de informações pessoais (como os famosos nudes não autorizados) e até cyberbullying, quando alguém começa a ser perseguido, ameaçado e ofendido pela internet.

O Desafio da Momo, que pode levar ao suicídio remete a outro desafio online que gerou comoção mundial e alerta das autoridades dos principais países, inclusive do Brasil, o Baleia Azul, em que jovens eram ameaçados para fazer coisas que não queriam e em último caso tinham que se suicidar. Nesse jogo, que levou algumas pessoas a prisão, os jovens tinham medo que seus pais fossem assassinados e por isso faziam tudo o que o agressor mandava.