O sistema carcerário brasileiro dispensa comentários, afinal, o país possui cadeias superlotadas e quase um milhão de mandados de prisão que não foram cumpridos por falta de vagas e de pessoal para procurar os foragidos.

Conheça agora como é a realidade prisional de alguns países:

Bastoy (Noruega)

Essa prisão mais parece uma colônia de férias, pois os presos não usam uniforme ou ficam amontoados em uma cela. Lá eles têm campo de futebol, escola, igreja e as celas são casas, com poltronas, televisores e tudo o que teria em uma residência. O local fica em um condomínio fechado com ampla segurança e os presos ficam distribuídos em oitenta edifícios.

Dentro do local há estradas, serviços de balsas, cais, florestas, terras para plantação e acesso à praia. Essa prisão é a de menor índice de reincidência de toda a Europa. Para ser enviado para essa prisão não precisa ser um político ou celebridade: lá há criminosos dos mais variados tipos de crimes, de roubo a estupro.

Prisão de segurança máxima de Halden (Noruega)

Essa prisão, também da Noruega, tem como objetivo sociabilizar [VIDEO] os presos para voltarem a sociedade. Lá a rotina é uma simulação do que eles fariam fora da prisão, mas a liberdade é apenas interna, não sendo possível sair de lá antes de cumprir a pena.

Na prisão os presos estudam música, praticam esportes e são estimulados a interagirem entre si.

As celas são quartos com cortinas, camas macias, armários e objetos pessoais.

Prisão de Idosos de Onimichi (Japão)

A população do Japão tem grande número de idosos e por conta disso as autoridades locais adaptaram algumas prisões para receber os presos da terceira idade. Em Onimichi, os presos recebem comida mais fácil de mastigar, contam com corrimão de apoio, podem fazer tricô e costurar. Eles dormem em sacos de dormir e existem atividades divididas por faixa etária.

HMP Addiewell (Escócia)

Essa prisão mais parece uma clínica de reabilitação. Com quartos e roupas de cama em tons claros, o local é destinado a ajudar os presos agressivos a controlarem seu comportamento para voltar para a sociedade. Lá eles possuem contato com familiares e com a natureza, além de realizarem algumas atividades que os ajudam a melhorar o estado emocional.

Black Dolphin (Rússia)

Essa é uma das prisões mais perigosas do mundo, pelo menos para quem está preso. Fica na fronteira com o Cazaquistão e tem segurança máxima. Os presos ficam em celas com grades, cercadas por outras grades, como se fossem celas dentro de outras celas. Lá não dá para fugir e só se sai depois de cumprir a pena ou morrendo. O local abriga presos perigosos, como canibais, terroristas e assassinos em série. O índice de assassinatos entre presos no local é muito alto e pelo menos três mil e quinhentos detentos já morreram.

Landsberg (Alemanha)

Foi nesta prisão que Adolf Hitler escreveu Mein Kampf. Vários nazistas foram executados no local e atualmente, apesar do visual semelhante a casas de periferia, o local oferece vários cursos para os presos se aperfeiçoarem e saírem da prisão com uma profissão.

Penal De Ciudad Barrios (El Salvador)

Essa prisão é o símbolo de superlotação. Criada para abrigar presos por até 72 horas, há quem esteja lá a mais de um ano. São mais de 30 homens em uma única cela. Não há onde dormir e ele precisam se empilhar um sobre os outros para passar a noite.

Ilha Petak (Rússia)

Nesta prisão a tortura é liberada e quem não sai pior do que entrou no local, acaba enlouquecendo. Os presos são torturados vinte e duas horas por dia e só podem ser visitados duas vezes por ano.

San Pedro (Bolívia)

Por mais surpreendente que pareça, nesta prisão os presos precisam pagar para ficar lá e quem não tem nenhum ou muito dinheiro fica nos piores lugares. A Polícia cuida do presidio, mas as decisões partem dos presos mais fortes que acabam sendo eleitos os lideres, geralmente após esfaqueamentos de outros presos.

Quem tem dinheiro pode ter até hidromassagem na cela, mas a maioria deles vive amontoada em um espaço que só deveria ter um detento. Alguns convivem com a família no local.

Aranjuez (Espanha)

Os presos podem ficar com suas famílias nas celas e quem tem filho pequeno costuma ter celas decoradas com brinquedos ou desenhos, a fim de que as crianças [VIDEO] não notem que estão em uma prisão.