Uma mamãe orca carregou seu filhote, que morreu logo depois de nascer, por mais de 1,6 mil km e por aproximadamente 17 dias. Segundo os especialistas as orcas carregam seus filhotes mortos por períodos que podem chegar a uma semana, mas essa mamãe provavelmente deve ter batido um recorde.

No dia 24 de julho pesquisadores do Centro de pesquisas de Baleias do Canadá (Center for Whale Research - CWR) registraram uma imagem em que a baleia carregava seu filhote morto. No dia 08 de agosto, ou seja 14 dias depois, ela foi vista novamente e ainda carregava seu bebê.

Depois de quase 17 dias, orca é vista já sem o filhote

A mamãe baleia é conhecida como J35 e chamou a atenção do mundo nos últimos dias por carregar seu filhote por um período muito maior do que se costuma observar.

Depois de longos dias de luto, a orca foi vista perseguindo um cardume de salmão, já sem o filhote e em companhia de outras baleias, aparentando bem estar e um comportamento ativo e vigoroso.

Em comunicado feito no último sábado, 11 de agosto, a CWR afirma que imagens digitais feitas recentemente mostram que a baleia demonstra estar em boa condição física. Mas que no entanto, pode não ser possível que os pesquisadores descubram o motivo da morte do filhote, visto que a carcaça deve ter afundado no mar de Salish, entre a costa oeste do Canadá e dos Estados Unidos sem que pudessem ter realizado uma necropsia.

Mamãe orca resgata, repetidas vezes, o filhote morto que começava a afundar

De acordo com os pesquisadores da CWR, durante os dias em que carregou seu filho morto, a mamãe baleia evitou que seu corpo afundasse resgatando-o e colocando-o novamente sobre seu corpo por várias e várias vezes.

Ela foi vista carregando o corpo do recém-nascido em direção à ilha de San Ruan. A família de orcas, ao qual J35 pertence, é constantemente observada perto da ilha de Vancouver, no Canadá, e também nas águas próximas ao Estado de Washington, nos Estados Unidos. O mais intrigante nesse caso, envolve também essa família de orcas, já que, segundo pesquisas, apenas um terço das orcas nascidas (nos últimos 20 anos) nessa comunidade sobreviveram, e o mais triste e alarmante: nos últimos 3 anos, nenhum filhote nascido nesse grupo sobreviveu.

Morador de ilha conta que observou momento entre baleias e o filhote morto

Para deixar o caso ainda mais emocionante, um morador da ilha de San Ruan contou que observou, em um final de tarde, um grupo de cinco ou seis baleias acompanhando a mamãe orca e o filhote que ela carregava. Ele conta ainda que as baleias se reuniram em círculo e que de maneira harmônica se movimentavam ao redor do filhote, fazendo isso por cerca de duas horas.

Leia também: