Fãs do seriado de ficção científica Jornada nas Estrelas levaram um sobressalto [VIDEO] quando cientistas, meio que por acaso, descobriram um planeta que possui muita similaridade com Vulcano, habitação originária do famoso Dr. Spock, vivido pelo ator Leonard Nimoy.

Sim, agora se pode cumprimentar com a saudação das mãos em forma de “V”, e não, ainda é muito cedo para detectar se há algum morador de orelhas pontudas por lá. Então, de uma vez por todas, o que está acontecendo?

Bem, a Universidade da Flórida (Estados Unidos) e astrônomos do projeto Dharma Planet Survey, este último voltado para achar planetas de baixa massa ao redor de estrelas brilhantes, afirmam ter encontrado o planeta Vulcano.

Calma, não é o planeta Vulcano em si. Trata-se de um planeta com muitas similaridades vistas no seriado [VIDEO] de Televisão dos anos 1960.

Viajar para lá é algo pouco possível de se concretizar; o planeta dista “somente” 16 anos-luz daqui da Terra e se localiza na constelação de Eridanus.

As informações preliminares sobre esta “felicidade” para os admiradores de Spock e companhia é que este planeta possui o dobro do tamanho da Terra. Os pesquisadores especulam que a nova e inesperada descoberta tenha dois tipos de clima em sua superfície: a face voltada para a estrela seria sempre quente e de altas temperaturas; a outra face não seria iluminada pela estrela e, portanto, seria uma zona mais fria, podendo abrigar algum tipo de vida semelhante à nossa. Eles também não descartam que este planeta abrigue vida em seu subsolo –como se imaginava na Vulcano (na televisão, claro) de Spock, já que o intelectual e seu povo moravam em cavernas.

Porém, diante da descoberta, os cientistas já pensam em batizar a surpreendente descoberta como Vulcano. Uma homenagem justa a esta “caçulinha” conhecida agora por nós, terráqueos.

Levantando a ficha, onde realidade e ficção se misturam

O criador e inventor de todos os cenários e ambientes por onde Jornada nas Estrelas desfilava foi Gene Rodenberry: ele, inclusive, imaginou que Vulcano (a casa do Dr. Spock) orbitaria em torno de uma estrela.

Posteriormente, em 1991, o mesmo Gene Rodenberry com mais uma turma de astrônomos de Harvard-Smithsonian escreveram uma carta com destino à Sky&Telescope, emitindo uma opinião sobre a existência de Vulcano. Eles se basearam na hipótese de que se realmente há um Vulcano, ele se encontraria próximo à estrela 40EridaniA. O que Rodenberry não presumia é que sua imaginação e sua missiva estavam certas. Bingo!

Os fãs devem se perguntar se este candidato a Vulcano está na Via Láctea? A resposta é sim e ela circunda a estrela de cor alaranjada 40EdiraniA.

Se Spock e seus companheiros estão lá, é pouco provável. Apesar desta matéria citar que possa haver vida em um dos lados do planeta, é muito difícil que isto seja encontrado, porque a gravidade é muito forte, se comparada com a Terra.

Resta, pelo menos, o consolo de algum dia visualizar o céu e ver um pequeno ponto de cor laranja em algum ponto da abóbada celeste e deduzir: deve ser ali que Spock mora ou manda suas lembranças para nós com aquele famoso “V”.