Um estudo britânico, realizado pelo Confused.com, concluiu que mulheres se envolvem menos em acidentes de trânsito e cometem menos infrações no volante, quando comparadas aos homens. Por conta disso, as seguradoras cobram menos de mulheres do que de homens, algo que se reflete não só na realidade do Reino Unido, mas de dezenas de países, incluindo o Brasil.

De acordo com o estudo, homens sóbrios apresentam quatro vezes mais riscos de se acidentarem ou cometerem infrações de trânsito, em relação a uma Mulher, subindo para cinco vezes, quando sob efeito de álcool, ainda que mínimo.

O estudo mostrou que cerca de 23% dos homens admitem não sinalizarem ao trocarem de pista.

Dentre as mulheres, 17% confessaram que se esquecem de sinalizar nas conversões. O estudo de alguma forma reflete uma realidade no Reino Unido: em 2017, 79% dos mais de 585 mil condutores que tiveram problemas com a justiça [VIDEO] por conta de infrações de trânsito e acidentes, eram homens.

Se por um lado os homens cometem mais infrações, por outro as mulheres acabam tendo mais dificuldade para serem aprovadas em exames de direção. O estudo britânico também descobriu que os homens são mais propensos a se esquecerem ou deixarem de lado a renovação ou contratação de seguro de um automóvel.

Quem provoca o perigo constante?

É comum que popularmente as pessoas se refiram às mulheres como perigo constante quando na direção de um veículo. Entretanto, de acordo com dados de acidentes e infrações, são os homens que estão levando esse título.

Se por um lado as mulheres são mais emocionais e tendem a ser mais cautelosas ou pelo menos ficam mais em alertas após cometerem algum tipo de infração, por outro os homens são mais ágeis e querem fazer tudo mais rápido quando estão dirigindo.

Logo, o perigo constante poderia ser atribuído aos homens por conta da negligência diária nas estradas, mas pode pertencer a qualquer um que dirigir perigosamente. Em 2017, a OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou que o Brasil é o quinto país do mundo no número de acidentes de trânsito. São mais um milhão de mortes anuais por causa da imprudência na direção.

A maior parte dos acidentes são causados por dirigir embriagado ou infrações relacionadas a velocidade e falta de sinalização, como fechar outro veículo em uma estrada. A maior parte das vítimas são homens, mas também há elevado número de vítimas do sexo feminino [VIDEO], bem como de idosos e crianças. Atualmente o principal motivo de mortes entre pessoas de 15 a 29 anos são os acidentes de trânsito, perdendo até mesmo para doenças. Também é a segunda causa de morte para os jovens entre 8 e 14 anos de idade.